Eurocopa Feminina

Com golaço de Cascarino, França apresenta suas credenciais e goleia a Itália

As francesas marcaram cinco vezes no primeiro tempo e golearam a Itália para fechar a primeira rodada da fase de grupos da Eurocopa

A França tem excelentes jogadoras e um dos seus clubes dominou o futebol feminino, mas a seleção em si nunca chegou a uma semifinal de Eurocopa. Chegou a hora? A estreia deu bons indicativos. Grace Geyoro, meia do Paris Saint-Germain, liderou um passeio contra a Itália com três gols, contribuindo ao placar de 5 a 1 no New York Stadium de Rotherham.

A partida fechou a primeira rodada da fase de grupos da Eurocopa. A Itália não é uma das potências da categoria, mas está em ascensão e foi quadrifinalista da última Copa do Mundo. Quando o primeiro tempo chegou ao fim, estava perdendo por 5 a 0 graças a uma atuação perfeita da seleção francesa. Bélgica e Islândia empataram por 1 a 1 no outro jogo do grupo.

Geyoro pegou a sobra de um cruzamento de Kadidiatou Diani pela direita e abriu o placar aos oito minutos. A zagueira Wendie Renard lançou do campo de defesa para a lateral esquerda Sakina Karchaoui, que cruzou à boca do gol. Laura Giuliani interceptou, mas deixou o rebote para Marie-Antoinette Katoto marcar o segundo, ainda aos 12 minutos.

 

Um começo avassalador da França, que emendaria gol atrás de gol no final da etapa inicial. Sem muita conversa, Delphine Cascarino recebeu de Karchaoui no bico esquerdo da grande área, abriu à perna direita e soltou um chute rasteiro, no outro canto de Giuliani, para fazer o terceiro da França, aos 39. A porteira abriu, e Geyoro passou por ela novamente, dominando muito bem o ótimo passe de Katoto, antes de invadir a área e driblar a goleira.

 

Geyoro completou o seu hat-trick. Roubou a bola no campo de ataque, abriu com Sandie Toletti e recebeu de volta para um chute de primeira, no canto. Em parte porque não tinha muito como melhorar, a Itália reagiu após o intervalo. A técnica Milena Bertolini voltou com duas substituições – Martina Rosucci e Flaminia Simonetti – e conseguiu estancar a sangria.

 

Não havia como se recuperar a ponto de ressuscitar a partida, mas pelo menos a Itália salvou um pouco da sua honra e descontou, aos 31 minutos, com uma cabeçada de Martina Piemonte, em cruzamento da esquerda de Lisa Boattin. Selma Bacha chegou a cortar uma bola em cima da linha nos minutos finais, em uma chance que poderia ter diminuído um pouco mais o prejuízo da Itália.

 

Berglind Thorvaldsdóttir, que havia perdido um pênalti no primeiro tempo, apareceu na segunda trave para cabecear o cruzamento da esquerda, de Karólína Lea Vilhjálmsdóttir, e abriu o placar para a Islândia. Justine Vanhaevermaet empatou de pênalti para a Bélgica, que enfrentará a França na próxima rodada, enquanto as islandesas jogam com a Itália.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo