Copa do Mundo Feminina

Copa do Mundo Feminina: resultados, gols e destaques do 9º dia

A Argentina sobreviveu num jogaço contra a África do Sul, enquanto Inglaterra e China ganharam com aperto

A Copa do Mundo Feminina teve uma jornada animada na virada de quinta para sexta-feira, mesmo sem tantos gols. As maiores emoções ficaram para a reação da Argentina, nos 2 a 2 contra a África do Sul. Inglaterra e China venceram, mas também com suas doses de drama, nos apertados triunfos por 1 a 0. Os placares magros significaram suspense até o apito final.

Copa Feminina: resultados, gols e destaques do 9º dia

África do Sul 2×2 Argentina

África do Sul e Argentina fizeram uma partida decisiva pela segunda rodada. As duas equipes perderam na estreia e uma nova derrota praticamente decretava a eliminação. O empate pode não ter sido o melhor cenário para ambas, mas agradou mais as argentinas. As Banyana Banyana abriram dois gols de vantagem, até que a reação da Albiceleste viesse com dois gols depois dos 29 do segundo tempo. Ainda assim, a situação parece difícil para ambas.

Mais agressiva no primeiro tempo, a África do Sul abriu o placar aos 29 minutos. Foi um lance em que a Argentina tentou fazer a linha de impedimento, mas Thembi Kgatlana saiu livre e só rolou para Linda Mothalo completar. A Albiceleste acertou a trave num lance fortuito, mas o primeiro tempo terminou com pressão das Banyana Banyana. Criaram chances para ampliar, inclusive com gol anulado.

A África do Sul continuou superior na volta para o segundo tempo. Criou mais um punhado de oportunidades, até marcar o segundo aos 21, com Kgatlana livre na área. A Argentina parecia batida, mas ressuscitou aos 29, num chutaço de Sophía Braun do meio da rua. Já aos 34, Yamila Rodríguez cruzou e Romina Núñez desviou de cabeça para as redes, empatando o duelo. A reta final teve pressão das argentinas pela virada, que não aconteceu.

África do Sul e Argentina ficam com um ponto cada no Grupo G. Suécia e Itália, que ainda se enfrentam, somam três pontos. As sul-africanas pegarão as italianas na rodada final, na madrugada de 2 de agosto. No mesmo horário, as argentinas encaram as suecas.

Classificação do Grupo G

Grupo G
# Seleção J V E D +/- Pontos
1 Suécia (F)

Suécia (F)

3 3 0 0 8 9
2 África do Sul (F)

África do Sul (F)

3 1 1 1 0 4
3 Itália (F)

Itália (F)

3 1 0 2 -5 3
4 Argentina (F)

Argentina (F)

3 0 1 2 -3 1

Inglaterra 1×0 Dinamarca

A Inglaterra sustenta seu favoritismo na Copa do Mundo com 100% de aproveitamento. De novo, as Lionesses tiveram uma vitória magra na competição. Entretanto, o desafio era naturalmente maior contra a Dinamarca, adversária que havia vencido seu jogo na estreia. As inglesas marcaram logo cedo nesta sexta e correram riscos no fim, mas ficaram com os três pontos. O triunfo por 1 a 0, porém, não foi totalmente feliz para as inglesas. A meio-campista Keira Walsh sofreu uma lesão no joelho e deixou o campo às lágrimas.

A vitória da Inglaterra foi facilitada pelo gol precoce anotado pela equipe. Lauren James (a irmã mais nova de Reece James) abriu o placar aos seis minutos, com um belo chute de fora da área. O domínio das Lionesses na primeira etapa foi enorme, com 79% de posse de bola. A intensidade das inglesas era grande, sobretudo pela velocidade na recuperação. A partir dos 20, a Dinamarca encaixou alguns contra-ataques. Entretanto, nada suficiente para empatar. Keira Walsh, por sua vez, se lesionou aos 38.

Durante o segundo tempo, a Inglaterra continuou no domínio, mas diminuiu o ritmo e correu riscos. A Dinamarca conseguiu ser perigosa nos cruzamentos, mesmo sem criar tanto. Amelie Vangsgaard ficou a ponto de empatar aos 42, numa cabeçada que acertou a trave. Foi um susto tremendo, antes que as Lionesses respirassem aliviadas com a vitória.

A Inglaterra lidera o Grupo D com seis pontos. As Lionesses pegam a China na rodada final, na manhã de 1° de agosto. A Dinamarca, com três pontos, está numa posição mais arriscada. Será a adversária do Haiti no último compromisso.

Classificação do Grupo D

Grupo D
# Seleção J V E D +/- Pontos
1 Inglaterra (F)

Inglaterra (F)

3 3 0 0 7 9
2 Dinamarca (F)

Dinamarca (F)

3 2 0 1 2 6
3 China (F)

China (F)

3 1 0 2 -5 3
4 Haiti (F)

Haiti (F)

3 0 0 3 -4 0

China 1×0 Haiti

Pela estreia contra a Inglaterra, o Haiti mostrou que poderia ser um adversário indigesto no Grupo D. A China cumpriu o favoritismo com a vitória por 1 a 0, mas suou frio ao longo da noite. Uma expulsão ainda no primeiro tempo dificultou bastante a situação das chinesas. As haitianas tomaram o controle depois disso e fizeram por merecer o primeiro gol, mas acabaram derrotadas com um tento de pênalti.

O primeiro tempo começou sob o controle da China. A equipe teve mais posse de bola e sequer permitiu ao Haiti finalizar na meia hora inicial. Entretanto, aos 29 minutos, Zhang Rui deu uma entrada dura e recebeu o vermelho direto. As haitianas saíram mais para o ataque depois disso e ficaram a um triz do gol antes do intervalo, em lance de Nerilia Mondesir anulado por impedimento.

A vantagem numérica fez a partida mudar de figura durante o segundo tempo. O Haiti tinha a iniciativa e o gol só não saiu aos oito minutos porque a goleira Yu Zhu operou milagre em chute à queima-roupa de Melchie Dumornay. A China despertou apenas depois dos 20 minutos, com algumas chegadas. O gol veio a partir de um pênalti, convertido por Wang Shuang aos 29. Já nos acréscimos, as haitianas ficaram na bronca quando um penal para o time foi anulado após revisão no VAR.

A China chega aos três pontos no Grupo D, viva na disputa depois da derrota na estreia. O problema é encarar a Inglaterra na rodada final, em 1° de agosto. Já o Haiti manterá um fio de esperança, mesmo zerado na competição. Mede forças com a Dinamarca.

Classificação do Grupo D

Grupo D
# Seleção J V E D +/- Pontos
1 Inglaterra (F)

Inglaterra (F)

3 3 0 0 7 9
2 Dinamarca (F)

Dinamarca (F)

3 2 0 1 2 6
3 China (F)

China (F)

3 1 0 2 -5 3
4 Haiti (F)

Haiti (F)

3 0 0 3 -4 0
Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo