Champions League Feminina

Chelsea derruba invencibilidade do Barcelona e sai na frente na semi da Champions

Com gol na primeira etapa, inglesas se defendem bem no segundo tempo, garantindo uma importante vitória

O Chelsea bateu o Barcelona em pleno Estádio Olímpico Lluís Companys, na Catalunha, pelo placar de 1 a 0 e abriu vantagem na disputa por uma vaga a final da Champions Feminina. A meia Erin Cuthbert anotou o único gol da partida, aos 40 minutos do primeiro tempo, após bela jogada trabalhada, com assistência de Sjoeke Nüsken. Em um jogo marcado por muita disputa e intensidade dos dois lados, a equipe londrina foi mais eficiente na chance que criou e administrou a vantagem para garantir a vitória na Espanha.

Agora, as comandadas de Emma Hayes podem empatar na Inglaterra no jogo de volta, marcado para o próximo sábado (27), que mesmo assim garantem a vaga para a decisão da maior competição de clubes do futebol feminino na Europa.

Segurança na defesa e eficiência no ataque foram os trunfos do Chelsea

Armada em um 3-5-2, o Chelsea anulou completamente a principal força do Barcelona, o jogo pelos lados. As zagueiras Jess Carter e Niamh Charles fizeram um jogo praticamente perfeito na cobertura defensiva e não deixavam que as pontas do time catalão recebessem a bola em condições de fazer uma jogada em profundidade, ou mesmo tentasse o arremate em gol. Graham Hansen e Mariona Caldentey não tiveram vida fácil contra a defesa inglesa no primeiro tempo.

Apostando na qualidade do toque de bola de suas meias, o Chelsea se fechava muito bem, e na única chance que teve nos primeiros 45 minutos, mostrou muita competência para abrir o marcador na Espanha. Após linda troca de passes dentro da área, Cuthbert acertou o canto esquerdo de Catalina Coll, balançando a rede pela primeira vez no jogo, e levando uma vantagem importante para o intervalo.

Na virada do primeiro para o segundo tempo, o Barcelona abdicou de se defender, indo com tudo o que tinha para o ataque, não deixando o Chelsea respirar. A equipe catalã empilhou chances, e chegou a ter um lance polêmico em seu favor logo aos cinco minutos da etapa complementar. Após chute de fora da área, a bola bateu no braço de Buchanan, contudo, a jogada foi revisada pelo VAR, que viu impedimento no início da jogada, anulando a possibilidade de pênalti.

O Barcelona seguia pressionando, sempre com o apoio pelos lados do campo, com Bonmati e Hansen fazendo dupla pelo lado direito, e Guijarro e Caldentey do outro lado. Conforme já relatado, o plano de jogo ofensivo do time catalão tinha tudo para dar certo, não fosse pelo ótimo trabalho defensivo do Chelsea. A dedicação tática das alas do time inglês foi algo para se aplaudir de pé na manhã deste sábado.

Como o futebol não tem roteiro certo, e tudo pode mudar em um único lastro de tempo, no último lance do jogo, Alexia Putellas teve a bola do empate. Depois de cruzamento na área em cobrança de falta lateral, a atacante recebeu passe de frente para o gol, mas tocou errado com a perna direita, perdendo um gol quase inacreditável, que pode fazer falta na volta na Inglaterra.

Melhor para o Chelsea, que mesmo não sendo um time muito forte ofensivamente sem Sam Kerr, mostrou ter muita maturidade, sabendo controlar as ações do jogo, e o que quer dentro da partida desde o começo. Resta sabermos como este comportamento vai influenciar no desempenho da equipe, com a vantagem construída neste primeiro jogo na Espanha.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo