Futebol feminino

CBF e Nike apresentam camisa da Seleção brasileira feminina sem estrelas no escudo

A Seleção brasileira feminina teve o seu primeiro uniforme exclusivo apenas em 2019, pensado para a Copa do Mundo Feminina. Agora, em 2020, a CBF trouxe uma novidade que faz ainda mais sentido: a camisa não traz mais as estrelas, representativas dos cinco títulos mundiais do masculino. É uma tendência que outras seleções do mundo já adotaram, como a Alemanha e os Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM: Recorde nos EUA e destaque no Brasil, camisas de seleções femininas tiveram aumento de 200% nas vendas

“A nova camisa da Seleção feminina é uma grande oportunidade para inspirar toda uma nova geração de meninas que sonham em jogar futebol. Remover as estrelas da camisa é uma mensagem impactante e forte por si só, por isso, nosso foco será explorar o papel da Seleção na imaginação de todas que sonham em vestir a amarelinha. O time feminino do Brasil pode não ter uma estrela na camisa, mas as suas conquistas são históricas e dignas de serem celebradas”, disse Duda Luizelli, Coordenadora de Seleções da CBF.

“A retirada das cinco estrelas representa um grande passo para nós mulheres que amamos o futebol. Valorizamos demais o peso da camisa mais respeitada do mundo, mas escrevemos a nossa própria história. Enaltecer as nossas conquistas é fortalecer o futebol feminino e a base para que futuras Debinhas, Andressinhas, Adrianas e Bias sejam regra, não exceção”, diz Debinha, atacante da Seleção Brasileira, que estrela a campanha dos novos uniformes ao lado de Bia Zaneratto, Adriana e Andressinha.

As camisas com o novo escudo estão disponíveis no site da Nike e em todo o mercado a partir desta sexta-feira, 27/11.

CLIQUE NA FOTO PARA VER A GALERIA DE FOTOS DO NOVO UNIFORME:

Camisa da seleção brasileira feminina 2020 (Divulgação/Nike)
Camisa da seleção brasileira feminina 2020 (Divulgação/Nike)

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo