Campeonato Brasileiro Feminino

Corinthians ampliou a hegemonia ao se impor no derby e soltar o grito de tricampeão brasileiro

Dominante, Corinthians conquistou seu terceiro título ao vencer todos os jogos do mata-mata; é o segundo título seguido do Timão

O Corinthians mostrou porque é a maior força do futebol feminino no Brasil. Diante de uma equipe que foi muito bem ao longo da temporada, o rival Palmeiras, o Timão se impôs, venceu os dois jogos e, em casa, tratou de fazer valer a sua força. Tinha vencido no Allianz Parque por 1 a 0 e, em casa, fez 3 a 1 e soltou o grito de campeão, pela terceira vez na história. Já tinha conquistado a taça em 2018 e 2020. Pela primeira vez um clube conquista dois títulos consecutivos do Brasileiro Feminino.

O Campeonato Brasileiro nasceu em 2013, quando o Centro Olímpico se tornou o primeiro campeão. Curiosamente, o técnico era Arthur Elias, atual treinador do Corinthians. Depois, vieram Ferroviária em 2014, Rio Preto em 2015, Flamengo em 2016, Santos em 2017 e o Corinthians em 2018. Em 2019, a Ferroviária voltou a conquistar o título e tornou-se a maior campeã brasileira, mas o Corinthians igualou em 2020. Agora, em 2021, o Corinthians se torna o primeiro a conquistar três títulos da categoria.

Desde 2017, o Corinthians chega em todas as finais. Naquele primeiro ano, perdeu para o Santos. Venceu o Rio Preto em 2018, perdeu da Ferroviária em 2019, nos pênaltis, e venceu o Avaí-/Kindermann em 2020. Agora, bate o rival Palmeiras. O Palmeiras, um projeto muito mais recente, conseguiu um crescimento espetacular, chegou à final, mas sucumbiu diante de um time melhor e mais forte.

Primeiro tempo dominante

O Palmeiras tentou pressionar no início e levou algum perigo. Julia Bianchi conseguiu assustar em um chute perigoso ainda no começo, aos 10 minutos. O jogo dava pinta que seria equilibrado, como foi na partida de ida. Foi assim por 20 minutos, mas as coisas mudaram a partir dali.

Adriana foi lançada em velocidade e ela é muito difícil de ser parada assim. Tainara não conseguiu cortar, a zagueira Agustina Barroso não conseguiu parar Adriana, que driblou a goleira Jully, tocou para o meio e Agustina tentou tirar e acabou colocando a bola para dentro. Corinthians 1 a 0.

O segundo gol não demorou. Aos 32 minutos, Yasmim avançou e tocou para Adriana e ela soltou uma bomba, no ângulo. Indefensável, golaço e festa das jogadoras. Corinthians 2 a 0. O desânimo nas jogadoras do Palmeiras ficou claro e o time não só desconcentrou, como desarrumou também e pagou por isso.

Aos 37 minutos, em uma bola na área, Victoria Albuquerque recebeu pelo alto dentro da área, dominou bonito e tentou uma meia bicicleta. Acertou: a bola foi no canto, entrou sem dar chance para a goleira. Um golaço da atacante, que colocou um 3 a 0 no placar. Já parecia irreversível a essa altura.

Gabi Zanotti quase ampliou aos 43 minutos, em uma bomba de fora da área. Acabou o primeiro tempo com um placar já muito confortável, até porque tinha vencido o jogo de ida por 1 a 0. Seria preciso que o Palmeiras fizesse quatro gols no segundo tempo para levar a disputa parta os pênaltis. Uma situação muito difícil.

Palmeiras diminui

No segundo tempo, o Corinthians chegou a ampliar com Victoria, que recebeu livre e bateu no canto para marcar. O gol foi anulado por impedimento, corretamente marcado. Com uma vantagem tão grande, o Corinthians relaxou na partida. Desperdiçou alguns ataques que poderiam ter ampliado o placar.

Com 28 minutos, o Palmeiras conseguiu reagir. Camilinha, em um chute forte, a bola tocou no travessão e no chão, já dentro do gol. A goleira corintiana Kamelli defendeu, mas a arbitragem já tinha marcado. A bola claramente entrou e as palmeirenses comemoraram e tiveram um fio de esperança.

O Palmeiras tentava, mas não tinha mais força para buscar algo mais. O jogo esfriou e o Corinthians administrou. Poderia até ter ampliado o placar. Nos minutos finais, as jogadoras no banco corintiano estavam celebrando a conquista. O título já estava assegurado. As jogadoras fizeram as vezes da torcida que não podia estar presente, com os cânticos que as arquibancadas normalmente entonam.

O time mais dominante do futebol brasileiro mostra que o trabalho de longo prazo gera resultados. Com bons profissionais, jogadoras com melhores condições de trabalho que a grande maioria dos clubes, boas condições e um time muito forte, o Corinthians chega ao topo do futebol brasileiro. O Palmeiras foi um adversário digno, mas terá que subir ainda mais o nível para alcançar o rival. O Corinthians, atualmente, não tem ninguém à sua frente no futebol feminino brasileiro.

Os números mostram que o time de Arthur Elias é, de longe, a equipe a ser batida no Brasil. São 151 jogos, 125 vitórias, 17 empates, apenas nove derrotas, 86.5% de aproveitamento, 459 gols marcados, 81 gols sofridos e oito títulos. Quem quiser competir com o Corinthians precisará se esforçar muito.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo