Futebol feminino

Campeã mundial, seleção americana feminina convoca elenco experiente para Tóquio-2020

Com média de idade de 30,8 anos, elenco inclui só uma jogadora que não esteve no elenco campeão na Copa do Mundo de 2019, na França

A seleção americana feminina divulgou nesta quarta-feira a sua convocação para a Olimpíada de Tóquio 2020. O técnico Vlatko Andonovski levará um elenco bastante experiente. Somente uma das 18 convocadas não estava no elenco campeão mundial em 2019. Os principais nomes estão lá, com a veterana Carli Lloyd e Megan Rapinoe e a atacante Alex Morgan.

São duas goleiras, seis defensoras, cinco meio-campistas e cinco atacantes. As jogadoras, porém, são bastante versáteis e boa parte delas pode atuar em mais de uma posição. A única jogadora que não esteve na Copa do Mundo da França em 2019 é Kristie Mewis, meio-campista de 30 anos do Houston Dash. Ela é irmã de uma jogadora que teve bom papel no Mundial, Samantha Mewis, do North Catolina Courage, de 28 anos.

A jogadora mais experiente é Carli Lloyd, com seus 38 anos e que fará 39 pouco antes do início dos Jogos Olímpicos. Ela recebeu uma homenagem recentemente por ter chegado aos 300 jogos pela seleção americana, uma marca notável. Já são 304 jogos da atacante pelos Estados Unidos, com 125 gols. Será a sua quarta Olimpíada na carreira. Conquistou a medalha de ouro em 2008 e 2012, além das Copas do Mundo de 2015 e 2019. Outras jogadoras experientes incluem Becky Sauerbrunn, de 36 anos, atual capitã do time, e a atacante Megan Rapinoe, que conquistou os prêmios The Best, da Fifa, e Bola de Ouro, da revista France Football, em 2019. A mais jovem do elenco é Tierna Davidson, de 22 anos, do Chicago Red Stars.

Carli Lloyd, de 38 anos, é homenageada por seus 300 jogos pela seleção americana (Imago / OneFootball)

O elenco é tão experiente que a média de idade das convocadas é de 30,8 anos. O que significa que boa parte deste elenco disputará as Olimpíadas pela última vez. A maioria não estará também na Copa do Mundo de 2023, que será na Austrália e Nova Zelândia. Até por isso, o favoritismo das americanas fica reforçado.

As americanas se prepararão com dois amistosos contra o México em julho, nos dias 1º de julho e no dia 5 de julho. A estreia nas Olimpíadas de Tóquio será no dia 21 de julho, no Tokyo Stadium, contra a Suécia, uma adversária bastante conhecida. Na Rio 2016, há cinco anos, as americanas foram eliminadas justamente pelas suecas, nos pênaltis, nas quartas de final. As suecas, comandadas por Pia Sundhage, ainda eliminariam o Brasil, anfitrião, e perderia a final para a Alemanha de Dzsenifer Marozsán.

Veja a lista das 18 convocadas dos Estados Unidos para Tóquio 2020:

Goleiras: Alyssa Naeher (Chicago Red Stars), Adrianna Franch (Portland Thorns);

Defensoras: Becky Sauerbrunn (Portland Thorns), Kelley O’Hara (Washington Spirit), Abby Dahlkemper (Manchester City), Tierna Davidson (Chicago Red Stars), Emily Sonnett (Washington Spirit), Crystal Dunn (Portland Thorns);

Meio-campistas: Sam Mewis (North Carolina Courage), Julie Ertz (Chicago Red Stars), Lindsey Horan (Portland Thorns), Rose Lavelle (OL Reign), Kristie Mewis (Houston Dash);

Atacantes: Carli Lloyd (Gotham FC), Alex Morgan (Orlando Pride), Megan Rapinoe (OL Reign), Tobin Heath (Manchester United), Christen Press (Manchester United).

Lista de espera: a goleira Jane Campbell, do Houston Dash; a defensora Casey Krueger, do Chicago, Catarina Macario, do Lyon, e a atacante Lynn Williams, do North Carolina.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo