Futebol feminino

‘Queremos o tetra’: Atlético-MG inicia caminhada no Campeonato Mineiro feminino

Atual tricampeão do Mineiro Feminino, o Atlético não está satisfeito e vai em busca de mais uma taça da competição

Atual tricampeão do Campeonato Mineiro Feminino, o Atlético-MG estreia na competição na tarde deste sábado (23), contra o Araguari. A competição vai contar, pela primeira vez, com três equipes da elite do Campeonato Brasileiro. Mesmo mais difícil, a técnica Vantressa Ferreira espera que o Galo mantenha o retrospecto de títulos dos últimos anos.

O Atlético entrou em campo pela última vez no dia 12 de junho, na última rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de um período de folga, as Vingadoras se reuniram novamente para iniciar a preparação para o Mineiro. Foram 11 semanas de treinamento, que Vantressa, que assumiu o time no meio do Brasileirão, agradeceu por conseguir enfim implementar algumas ideias de jogo: “Dividimos bem os conteúdos físicos e táticos. Conseguimos fazer coisas que não tivemos muito tempo de fazer durante a competição (Série A1)”, disse à GaloTV.

No meio dos treinamentos, o Atlético fez um amistoso com o melhor time do Brasil, o Corinthians, e foi derrotado por 1 a 0. Apesar da derrota, Vantressa celebrou que pôde ver o time dela em situação de jogo depois de muito tempo. No fim de agosto, as Vingadoras realizaram outro amistoso, dessa vez contra o América, e venceram por 2 a 1.

Expectativa para o Atlético no Campeonato Mineiro

Em resposta à Trivela, Vantressa citou as expectativas dela para o desempenho do Atlético no Campeonato Mineiro, e também analisou a força dos adversários na competição, que terá Cruzeiro e América-MG, ambos times da elite nacional, assim como o Galo:

– Nosso objetivo é manter o bom retrospecto do clube na competição. Sabemos que será um grande desafio, afinal teremos um campeonato de alto nível. Pela 1ª vez o torneio conta com a participação de três equipes da elite da categoria no país, e com certeza nossas adversárias também se prepararam bem para a edição deste ano.

Vantressa ainda completou afirmando que espera ver em campo tudo que elas trabalharam durante o período de treinamentos desde o fim do Brasileirão. A treinadora não exitou ao citar a meta da equipe:

“Queremos o tetra campeonato e acredito que não faltará empenho do grupo para isso”

A sequência do Atlético no Campeonato Mineiro

O Campeonato Mineiro tem seis times na disputa. Além dos citados Atlético, Cruzeiro e América, também estão na competição o Araguari, o Nacional VRB e o Uberlândia. Serão três fases de disputa. Na primeira, os times se enfrentam em turno único e, os quatro melhores colocados avançam. Nas semifinais, jogos de ida volta para decidir os integrantes da final, que será em jogo único. A previsão da final é de ser disputada no dia 18 de novembro, na casa do time de melhor campanha na primeira fase. Confira os jogos do Galo na fase inicial:

  • 23/09 – Atlético x Araguari – 15h – Sesc Venda Nova
  • 01/10 – Cruzeiro x Atlético – 15h – Toca da Raposa II
  • 07/10 – Atlético x Nacional VRB – 15h – Sesc Venda Nova
  • 22/10 – Uberlândia x Atlético – 15h – Ninho do Periquito
  • 28/10 – Atlético x América – 15h – Sesc Venda Nova

O Atlético Feminino em 2023

O Atlético iniciou o ano participando pela primeira vez da Supercopa Feminina. No entanto, foi eliminado logo de cara para o Corinthians, que se sagrou campeão. No Brasileirão, as Vingadoras tiveram desempenho muito ruim e, após cinco rodadas, a técnica Lindsay Camila foi mandada embora. Vantressa, que era auxiliar, assumiu o time interinamente, sendo efetivada em maio.

Na Série A1, o Galo Feminino lutou o tempo inteiro contra o rebaixamento, mas se salvou ao terminar a competição na 12ª colocação, a primeira fora da zona de rebaixamento. Agora, as Vingadoras tem o objetivo de conquistar mais um estadual para terminar bem um ano que foi longe do esperado.

A primeira venda da história das Vingadoras

Para a disputa do Campeonato Mineiro, o Atlético tem um grande desfalque. No início do mês de setembro, o Galo anunciou a primeira venda de uma jogadora na história do clube. A zagueira Jorelyn Carabali, de 26 anos, que defendeu a Colômbia na Copa do Mundo, foi negociada com o Brighton, da Inglaterra. Os valores da negociação não foram revelados pelos clubes. Pelas Vingadoras, a zagueira atuou em 11 partidas e marcou três gols. Já na seleção, foi titular nos cinco jogos da Copa.

O Atlético no futebol feminino

O Atlético apareceu pela primeira vez no futebol feminino em 1959, mas não necessariamente por “culpa” do clube. Na época, com o futebol feminino proibido no Brasil, o Araguari Atlético Clube (mesmo adversário da estreia neste sábado) decidiu criar um time para as mulheres. A ação teve muito apoio das pessoas e arrastou multidões por onde passou. Em 59, a convite do jornal Diário da Tarde, as meninas do Araguari, que formavam dois times, desembarcaram para jogar em Belo Horizonte. Partiu do jornal a ideia de vestir as meninas com as camisas de Atlético e América, grandes times da capital na época.

A partida das meninas do Araguari com os uniformes de Atlético e América atraiu cerca de 20 mil pessoas para o Independência, que viu o Galo vencer por 2 a 1. A rivalidade na época era tão grande que os atleticanos comemoraram muito a vitória e os americanos lamentaram a situação, mesmo não sendo exatamente o clube deles em campo, sendo “só” os uniformes.

Atlético, o primeiro campeão Mineiro

A história do Atlético com o futebol feminino começou mesmo em 1983, quando a modalidade já não era mais proibida no Brasil e o primeiro Campeonato Mineiro foi organizado. A competição, em que o Atlético se sagrou campeão, dava vaga para a Taça Brasil. Ambas eram de nível amador na época.

Apesar da primeira edição em 1983, o Campeonato Mineiro Feminino só passou a ser oficialmente realizado a partir de 2005, que foi também quando o Atlético voltou a ter um time na categoria. O Galo venceu as edições de 2006, 2009, 2010, 2011 e 2012 da competição.

Apesar do sucesso do time feminino no Mineiro, o Atlético encerrou as atividades da categoria em 2012. O clube só voltou a ter um time feminino em 2019, quando a Conmebol passou a obrigar os clubes a terem um time na modalidade para disputarem suas competições. Com o tricampeonato recente somados aos outros títulos, o Galo é, de longe, o maior vencedor do estado, com nove títulos.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo