O técnico Mauricio Pochettino conquistou o seu primeiro título na carreira como treinador. Nesta quarta-feira, ficou com a taça da Supercopa da França, com o seu PSG batendo o Olympique de Marseille, o grande rival, por 2 a 1. O jogo aconteceu no Stade Bollaert-Delelis, em Lens, e teve a volta de Neymar, depois de um período afastado por lesão em que perdeu cinco jogos. Ele marcou o gol da vitória dos parisienses, de pênalti.

LEIA TAMBÉM: Ligue 1: Lyon evita derrota e segue líder; PSG e Lille colam novamente; briga pela artilharia acirrada

Foi o oitavo título seguido de Supercopa da França do Paris Saint-Germain, que chegou a 10 taças desse torneio na sua história. Desta vez, o troféu veio em uma noite chuvosa e com os dois times jogando menos do que se esperava. Em um momento que a LFP (Ligue de Football Professionnel, que administra a Ligue 1) está tentando provar que os direitos de transmissão da liga valem muito, não foi a melhor propaganda.

Neymar começou o jogo no banco de reservas, já que ainda não tinha condições plenas para jogar os 90 minutos. O ataque foi formado por Kylian Mbappé, Ángel Di María e Mauro Icardi. E foi o argentino Icardi que levou perigo, mas teve o seu gol anulado por impedimento. Seria dele mesmo o gol que abriria o placar, aos 39 minutos, depois de um cruzamento de Di Maria que ele finalizou, o goleiro Steve Mandanda se atrapalhou, rebateu a bola, e Icardi mandou para a rede.

Neymar entrou no meio do segundo tempo para dar mais força ofensiva ao time de Paris, mas pouco conseguiu fazer em um que não ameaçava no ataque. Foi só aos 38 minutos que Icardi entrou na área e sofreu falta do goleiro Yohann Pelé. Neymar cobrou e marcou 2 a 0. O Marseille conseguiu diminuir o placar aos 44 minutos. Florian Thauvin cruzou da direita para o craque do time, Dimitri Payet, desviar e marcar. O placar, porém, ficou mesmo em 2 a 1.

Depois de mais de 500 jogos, Pochettino enfim ganha um título. Tudo bem, não é dos mais importantes, mas é um título. É esperado que ele consiga ainda mais com o PSG, grande favorito para todas as taças na França, além de buscar também o título continental, que o próprio treinador passou perto de conquistar com o Tottenham em 2019.

Ficha técnica

Melhores momentos