Ligue 1

Burak Yilmaz, destaque do Lille: “Foi nossa amizade que nos permitiu vencer a Ligue 1”

Em entrevista ao Canal+ uma semana após o título, o veterano e herói da conquista revisitou os bastidores do sucesso dos Dogues

Herói do Lille na conquista da Ligue 1, sobretudo na reta final da competição, com gols que valeram pontos preciosos, Burak Yilmaz deu uma entrevista ao Canal+ neste domingo (30) para falar sobre a vitória marcante dos Dogues no Campeonato Francês. Entre vários fatores possíveis para explicar o triunfo do LOSC na liga, o turco apontou a união do elenco como o principal.

“Acho que o elemento essencial da nossa vitória foi a nossa amizade. Existem conquistas que forjam amizades, mas existem também sucessos que acontecem graças à amizade. Para nós, foi 100% a amizade que nos permitiu ter sucesso”, avaliou o veterano à emissora francesa.

Além dos 16 gols e cinco assistências na campanha campeã da Ligue 1, Burak Yilmaz se transformou no principal nome da conquista do Lille graças à sua influência no vestiário mesmo em seu primeiro ano no clube. Apelidado pelos atletas de “irmão mais velho” e destacado pelo técnico Christophe Galtier pelo exemplo que dava ao grupo, o atacante falou sobre o que significa para ele ser “um irmão mais velho” no vestiário.

“Eu tento ser um exemplo para os jovens jogadores. No futebol, falamos em ‘fazer o papel de irmão mais velho’. A primeira maneira de ser um irmão mais velho é jogar bem. É vendo suas atuações em campo que os seus amigos vão dizer a si mesmos: ‘Se ele faz isso aos 35 anos, então preciso me superar’. Ser um irmão mais velho é isso.”

O papel de exemplo e liderança implica também cobrança, e Yilmaz reconheceu que às vezes pode ser agressivo – algo que Galtier havia ressaltado na verdade como um traço positivo do jogador, pela reação que gera no grupo.

“É verdade que tenho uma mentalidade orientada à vitória. Sou muito agressivo às vezes, especialmente quando perdemos. Infelizmente, às vezes me acontece de magoar as pessoas. Mas tento imediatamente reconquistá-las, porque isso me entristece. Mas eles sabem que tenho um bom coração e que minhas intenções são boas, que se me comporto assim, é porque detesto perder”, contou.

Esta sua faceta, por fim, acabou ajudando diretamente nos momentos derradeiros da temporada. Na penúltima rodada, o Lille, que tinha quatro pontos de vantagem para o segundo colocado PSG, tropeçou em um 0 a 0 contra o Saint-Étienne e teve que deixar para decidir o título na última rodada, contra o Angers. Naquele momento, Yilmaz assumiu sua função de líder e deu um chacoalhão no grupo, que reagiu com o espírito necessário para ir buscar a taça.

“Era preciso um choque, eu não era o único pensando isso. O (José) Fonte, o Maignan, o (Benjamin) André, o Bamba… todo mundo estava pensando isso. Na verdade, queríamos ter jogado a partida contra o Angers logo após o jogo com o Saint-Étienne, era esse o estado de espírito. Com esse estado de espírito, não tinha como perdermos.”

O Lille terminou o campeonato com apenas um ponto a mais que o PSG e se sagrou campeão francês pela quarta vez em sua história, dez anos após a última conquista. Uma pequena debandada já começou, com o técnico Christophe Galtier anunciando sua saída, e o goleiro Mike Maignan acertando com o Milan. No entanto, ao que tudo indica, independentemente de outras movimentações, os Dogues poderão ao menos contar com seu veterano atacante, que tem contrato até junho de 2022 e pretende honrar o vínculo.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo