França

Leonardo, diretor do PSG: “Mbappé está no centro do projeto, mas não acima”

A entrevista de Leonardo deixa claro que a relação está tensa, admite a possibilidade da saída de Mbappé, mas só nos termos que o PSG quiser

A saga de transferência de Kylian Mbappé ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira. O diretor esportivo do clube, Leonardo Araújo, comentou sobre a proposta recebida do Real Madrid, especulada em € 160 milhões. Deixou claro que o clube até admite a saída do atacante, mas só nos seus termos. Mais do que isso, reforçou que a vontade é manter o jogador no elenco dos parisienses. Ainda sobrou para o Real Madrid, que foi criticado por sua postura no episódio.

LEIA MAIS: Mbappé, PSG e Cristiano Ronaldo: um triângulo de especulações neste final de janela de transferências

“Nossa posição ainda é a mesma: manter Kylian e renovar com ele. Esse é o nosso objetivo e ainda é atualmente. Está acontecendo há dois anos. Fizemos uma proposta para Kylian dois meses atrás no mesmo nível dos melhores jogadores do elenco. Desde então, formulamos uma proposta ainda mais alta”, afirmou Leonardo, segundo o L’Equipe. “Respondemos de forma não-verbal. O Real Madrid sabe que é não. E não recebemos uma nova proposta”.

“Ao fazer essa proposta, eu acho que é uma estratégia para receber um não da nossa parte e dizerem: ‘tentamos de tudo, esperem mais um ano’. O Real Madrid tem se comportado assim por dois anos. O comportamento deles [Real Madrid] é desrespeitoso, inaceitável e ilegal em fazer uma proposta há um ano do fim do contrato de Kylian e sete dias do fechamento do mercado. Esta proposta está muito longe do valor de Kylian, é ainda mais baixo do que pagamos ao Monaco [€ 145 milhões + € 35 milhões em variáveis] porque ainda devemos dinheiro ao Monaco. A proposta não é suficiente”, explicou Leonardo.

“Se um jogador quer sair, ele sairá. Mas será nos nossos termos. Isso se aplica a Kylian e a todos os outros jogadores. Se ele quer sair, nós temos que fazer alguma coisa. Fizemos tudo por Kylian, até esta janela de transferências foi construída ao redor dele. Se ele sair ou ficar, será nos nossos termos. Não fechamos a porta a ninguém se ele quer sair”.

“Parece claro, certo? Se o Real Madrid fez uma proposta uma semana antes do fechamento da janela de transferências, é porque o jogador quer sair. Se Kylian quiser falar e dizer que ele não quer sair, então ele não sairá, porque esse é o nosso desejo. O Real Madrid falou com a família, com o entorno, de outra forma eles não teriam agido assim”, acusou o dirigente brasileiro.

LEIA TAMBÉM: Após Piqué e Jordi Alba, Barcelona negocia redução salarial com Busquets e Sergi Roberto

“Não podemos estar felizes com essa situação porque fizemos algo neste verão. Criamos um sonho, não iremos deixar ninguém destruir isso ou se posicionar acima do clube. Kylian está no centro do projeto, mas não acima. Criamos uma atmosfera positiva, um desejo, uma emoção. É o nosso plano”.

Quando foi perguntado se Mbappé não irá mesmo renovar, Leonardo respondeu colocando nas costas do jogador. “Não sei como responder, ele apenas prometeu que não sairia de graça, isso é um fato”.

Fica claro que o PSG vai engrossar na negociação. A tese levantada por Leonardo também é interessante: que o Real Madrid fez uma proposta que sabia que seria recusada. Assim, mostraria, primeiro, ao jogador que quer levá-lo a Madri; segundo, dá uma satisfação à torcida. No fim, parece mais lógico mesmo que o Real Madrid tenha feito a proposta com a intenção que o PSG recusasse, porque isso cria um cenário favorável para ele mesmo no próximo ano, quando levaria o jogador sem custo de transferência após o fim do seu contrato.

Há uma queda de braço entre Mbappé e o PSG. Leonardo mostra que a postura do clube francês será similar ao que já aconteceu com Neymar: está disposto a complicar o máximo possível. O Real Madrid, talvez, esteja só no jogo de aparências. Uma novela que continuará ao menos até terça-feira, quando o mercado se fechará.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo