Espanha

Após Piqué e Jordi Alba, Barcelona negocia redução salarial com Busquets e Sergi Roberto

Intenção do Barcelona é reduzir a sua inchada folha salarial. Piqué e Alba, dois veteranos do elenco, já aceitaram redução para continuar no clube

O Barcelona continua tentando enxugar os seus gastos após perder Lionel Messi por não ter condições de bancar o seu salário e de Joan Laporta dizer que o clube tinha uma folha salarial maior do que suas receitas. Gerard Piqué aceitou a redução e Jordi Alba foi outro a chegar a um acordo. Agora, o clube negocia para outros líderes do elenco, Sergio Busquets e Sergi Roberto, também reduzirem seus salários.

O clube está com dificuldades de negociar jogadores para reduzir os custos. Em parte, isso se deve aos salários altos dos jogadores, que outras equipes não querem assumir se contratá-los. Messi aceitou reduzir os salários em 50%, o máximo permitido na Espanha, mas não foi o bastante — ou o clube julgou que não era o bastante.

Gerard Piqué foi um dos primeiros a aceitar a redução em 50%. Identificado com o clube, formado na base e com uma rápida passagem pelo Manchester United, Piqué se tornou uma bandeira não só pelo que faz em campo, mas também pelo que representa fora dele. Catalão, ele é uma figura que se vê no Barcelona mesmo depois da sua carreira terminar. Há quem enxergue o zagueiro como um futuro candidato a presidente dos blaugranas.

Nesta terça-feira, Jordi Alba também chegou a um acordo para reduzir o seu salário e permanecer no clube. É outro jogador formado na base, que saiu para jogar e se destacar pelo Valencia e voltou à Catalunha. Alba se irritou com rumores que ele sairia do clube e reforçou querer continuar no clube e conquistar títulos.

Os dois acordos ajudaram, mas não resolvem a situação do Barcelona, que ainda precisa reduzir mais. Agora, a ideia é entrar em acordo com Sergio Busquets, que se tornou o capitão do time com a saída de Lionel Messi, e Sergi Roberto, outro dos líderes deste elenco.

O acordo com Sergi Roberto é o mais complicado. O seu contrato só vai até junho de 2022, então provavelmente a redução salarial viria atrelada a uma extensão do vínculo do jogador. O caso de Sergio Busquets, de 33 anos, é menos complicado porque seu contrato vai até 2023, então é mais tranquilo para aceitar a redução salarial, já que o vínculo é um pouco maior.

A readequação salarial dos chamados quatro capitães do elenco é vista como essencial para o planejamento financeiro do clube. Até porque eles funcionam como exemplos para os demais e reforçam um compromisso com o clube em uma situação complicada.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo