França

Donnarumma: “Vim para o PSG para jogar, então darei meu melhor para ser titular”

Destaque da Itália na Euro 2020, Donnarumma tem que vencer a disputa com o costarriquenho Keylor Navas para jogar no PSG

O goleiro Gianluigi Donnarumma foi uma das grandes contratações do Paris Saint-Germain nesta temporada. Aos 22 anos, deixou o Milan após seis anos defendendo as cores rossoneri e de ser escolhido o melhor jogador da Euro 2020. O clube parisiense, porém, já tinha um goleiro titular que é destaque: Keylor Navas. O italiano disse que não tem medo da concorrência com o costarriquenho e foi para a França para jogar.

“Quero ser um dos melhores goleiros do mundo e para fazer isso, é necessário sacrifício e humildade. Ser humilde é uma das coisas mais importantes”, disse Donnarumma, em entrevista ao Canal+.

“Vim para o Paris para jogar. O PSG me procurou e me queria. E eu queria o PSG. A concorrência não me assusta. Keylor é um grande goleiro, mas eu estou aqui para jogar. A concorrência é boa e nos ajuda a melhorar”, continuou o italiano.

“Vim aqui para jogar, então eu darei o meu melhor para ser titular, mas tem que haver concorrência. Estou pronto para jogar. Não haverá problemas, Keylor é uma grande pessoa, somos amigos e não há problemas, a concorrência é normal em grandes clubes”.

Donnarumma comentou sobre as estrelas no vestiário do PSG e como foi recebido. “Kylian é um grande jogador, é ótimo tê-lo no meu time, ele me fez me sentir parte da família, como todo mundo. Há muita qualidade, é um problema quando você joga contra eles, mas todos nos sentimos bem, somos um grande time e iremos fazer tudo para ter uma grande temporada”, afirmou o goleiro.

O goleiro italiano ainda lembrou sobre a final da Eurocopa contra a Inglaterra. Ele foi um dos protagonistas da conquista italiana e não comemorou depois de defender o pênalti decisivo de Bukayo Saka, o que fez com que muitos o achassem frio. Ele explicou que não tinha entendido que já tinham vencido a disputa.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo