Copa da França

Goleiro de time francês amador que enfrentará o PSG manda recado às estrelas parisienses

Jogadores do US Revel viralizaram nos últimos dias pelas reações ao confronto diante do PSG

O US Revel, simpático time amador da França, que joga as ligas distritais da região dos Pirineus, vive um momento mágico de sua trajetória. A equipe vai enfrentar o PSG, líder absoluto da Ligue 1 e único representante francês no mata-mata da Champions League, na próxima fase da Copa da França e seus jogadores viralizaram nas redes sociais nos últimos dias por conta da reação eufórica com o sorteio da 3ª fase da competição.

Ao contrário do que muitos poderiam pensar, os atletas do Revel fizeram uma grande festa pela oportunidade única que terão de enfrentar um dos times mais poderosos da Europa. A partida acontece neste domingo (7), às 16h45 (horário de Brasília) no Estádio Pierre-Fabre, em Castres. O Revel chegou a 3ª fase da Copa da França após vencer o Aubin Guerande na estreia por 3 x 0 e superar o Blagnac nos pênaltis por 3 x 2 após empate por 1 x 1 no tempo normal.

Um dos jogadores mais animados com este confronto é o goleiro e capitão do time Cyril Garcia, que em entrevista ao portal Sofoot falou sobre a expectativa de enfrentar o melhor time da França. O arqueiro deixou claro que deseja que todas as grandes estrelas do PSG estejam em campo para aumentar ainda mais o desafio e afirmou que o Revel não deve jogar apenas para se defender. Ao contrário dos jogadores mais jovens, que sonham com este momento desde que o sorteio saiu, Garcia prefere ficar mais tranquilo, embora tente também controlar a ansiedade.

“Não estou me pressionando muito, sei o que nos espera, com certeza terei muita demanda. À noite, quando vou para a cama, penso em vários cenários, muito mais do que nos jogos clássicos do campeonato, mas sinto-me tranquilo. Deve ser a idade que faz isso.  Os jovens estão loucos e isso faz sentido. Por unanimidade no vestiário, queremos que todas as estrelas de Paris estejam presentes para poder enfrentá-los. Podemos ser um pouco suicidas, mas queremos viver este momento ao máximo”, afirmou o goleiro.

Cyril Garcia fala sobre o confronto da vida do Revel frente ao PSG

Um dos pontos mais interessantes da Copa da França é justamente possibilitar que os times de divisões menores tenham a chance única de enfrentar um time de elite e tenham a sua oportunidade de surpreender e marcar seus nomes na história. Para o goleiro do Revel, o confronto frente ao líder da Ligue 1 é o jogo da vida de todos no clube, inclusive de toda a comunidade da região dos Castres, que vai lotar os 12.500 lugares do Estádio Pierre-Fabre para acompanhar o confronto diante do PSG.

Para Cyril Garcia, mais do que enfrentar um time da elite do futebol francês, o envolvimento da comunidade e a chance de aparecer na televisão faz do confronto o jogo da vida para todos dentro do Revel. O goleiro chegou perto de subir para a Ligue 2 (equivalente à 2ª divisão da França) com o Luzenac, na temporada 2013/2014, mas nunca chegou perto de enfrentar um clube deste nível, assim como seus companheiros que vão passar por esta grande experiência pela primeira vez em suas vidas.

“É o jogo da sua vida, você tem que encarar com muito prazer. Temos a oportunidade de jogar em condições vividas por futebolistas de altíssimo nível, diante de um estádio lotado, com transmissão televisiva, num horário de grande audiência . Também foram tantos os pedidos que a bilheteria do estádio explodiu. Acho que eles nunca tinham vivido isso antes, o que mostra a emoção em torno deste encontro”, disse Cyril Garcia.

García ainda revelou que, por tudo o que sofreu no Luzenac, quando teve a oportunidade de assinar um contrato profissional e disputar a 2ª divisão da França, mas acabou vendo seu sonho de jogar profissionalmente ruir, enfrentar o Paris Saint-Germain é como uma redenção do destino e a chance de tentar entrar para a história e quem sabe realizar seu sonho.

Na época, a LFP, organização que administrava a Ligue 2, vetou a participação do Luzenac por conta da estrutura de seu estádio, o Paul Fedóu não reunir as condições de segurança necessárias estipuladas pela liga, o estádio do time tinha capacidade de apenas 400 torcedores. Mesmo o clube tendo feito uma parceria para mandar seus jogos em Toulouse, há 100 quilômetros de distância de sua sede, questões burocráticas impediram a participação do time na competição.

“Minha mãe me mandou uma mensagem que aqueceu meu coração ao ver o sorteio, me dizendo que foi uma bela piscadela do destino em comparação com os golpes de azar que tive em minha vida profissional. Eu realmente entendo assim. É realmente um presente e vou saboreá-lo. Houve coisas que vivi no futebol da era Luzenac que tive a impressão de que só aconteceram comigo. Por isso encaro isso como uma justa retribuição de coisas e talvez recompense a minha jornada e os sacrifícios que fiz até agora para viver do futebol”, revelou García.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo