Europa

Você pode não reparar, mas este é um documento histórico para o futebol

A imagem ao lado é de um mero papel timbrado, com a lista de jogadores chamados a um amistoso internacional. Mas, na verdade, representa muito mais do que isso. É um documento histórico, a primeira convocação de Gibraltar, seleção recém-admitida pela Uefa e que toma o posto do Sudão do Sul como a mais jovem do mundo. Os gibraltarinos até disputavam partidas não-oficiais, mas agora terão a chance de fazer seu primeiro amistoso sob a batuta pela Fifa. Pela frente, a adversária na próxima terça será a Eslováquia.

A maioria absoluta dos atletas convocados vem do Campeonato Gibraltarino, disputado desde 1907 (o futebol de clubes no país existe desde 1895) e que a partir desta temporada passará a valer vaga na Liga dos Campeões. São nove atletas do Lincoln, maior campeão da história do país, além de cinco do Manchester – cuja inspiração, do símbolo ao uniforme, vem justamente do United. No entanto, os dois astros do elenco nunca viveram na península de 30 mil habitantes e atuaram a carreira toda na Inglaterra.

O nome mais conhecido é o de Danny Higginbotham. O defensor de 34 anos está longe de ser um craque, mas possui currículo invejável perto de seus compatriotas. Formado pelo Manchester United, viveu sua melhor fase com o Stoke City, defendendo os alvirrubros por sete temporadas. Hoje no Chester, da quinta divisão inglesa, o veterano abriu-se à possibilidade por sua avó materna ter nascido em Gibraltar. E o chamado do técnico Allen Bula (que também é seu tio) não poderia ter vindo de maneira mais peculiar: através do twitter.

 

Ao seu lado, o outro destaque é Scott Wiseman. Cria do Hull City, o lateral sequer chegou a atuar na Premier League, ainda que tenha defendido a seleção sub-20 da Inglaterra. Como a legislação da Fifa não o impede de se tornar gibraltarino, o jogador do Barnsley optou pelo país de sua mãe.

Além da dupla, foram listados outros dois jogadores de clubes estrangeiros, embora nascidos no território: o atacante Adam Priestley, que atua na oitava divisão inglesa, e o meia Liam Walker. E é o ex-jogador do Portsmouth quem deve enfrentar as maiores provações por sua nacionalidade. Walker é ídolo no San Roque, da quarta divisão da Espanha, país que segue alegando direito sobre o território gibraltarino. Ainda que os espanhóis reiterem a vontade de nunca enfrentar Gibraltar para evitar conflitos desnecessários, o meia pode não ser mais bem-vindo no país onde construiu sua carreira, justamente por estrelar uma seleção indesejada. Um debate que, quem sabe em breve, pode evoluir a partir de um campo de futebol.

Abaixo, a convocação completa da seleção de Gibraltar:

BY9Jn2JIYAAXd9y

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo