Europa

Tradicional força da Suécia, o Helsingborgs voltou à primeira divisão com uma épica vitória nos playoffs de acesso

O Helsingborgs precisava da vitória fora de casa contra o Halmstadts e selou o acesso aos 45 do 2° tempo

O Helsingborgs possui um lugar privilegiado entre os maiores clubes da Suécia. Os Vermelhos conquistaram sete títulos no Campeonato Sueco e ainda possuem sete vices, além de acumularem cinco Copas da Suécia. Os últimos anos, porém, não têm sido tão fáceis ao clube, que passou a conviver com o rebaixamento. O time caiu em 2016, voltou à elite em 2018 e desceria novamente em 2020. A promoção, em 2021, seria imediata. E contou com uma vitória épica nos playoffs contra o Halmstadts, outro clube tradicional. Depois da derrota por 1 a 0 em casa, o Helsingborgs subiu graças aos 3 a 1 fora, com o segundo gol aos 39 do segundo tempo e o terceiro aos 45. Mesmo como visitante, a torcida invadiria o gramado para celebrar.

O Helsingborgs terminou a segunda divisão de 2021 na terceira colocação. Os Vermelhos passaram longe de alcançar o campeão Värnamo, que conquistou o inédito acesso com 11 pontos a mais. Também ficaram cinco pontos abaixo do Sundsvall, que se consagrou como um time ioiô nos últimos anos. E a vaga nos playoffs só foi garantida nos detalhes, já que o Helsingborgs ficou à frente do Norrby apenas no saldo de gols, por conta de um empate por 2 a 2 arrancado na unha durante a rodada final. Assim, teria que medir forças com o Halmstadts, dono de quatro títulos nacionais, que foi o antepenúltimo da elite.

As esperanças de acesso do Helsingborgs pareciam mais distantes depois do primeiro jogo, em casa, quando o Halmstadts venceu por 1 a 0. O troco aconteceu na casa dos oponentes, e de maneira emocionante nesta terça. Wilhelm Loeper até abriu o placar para o Helsingborgs aos 32 minutos, num arrojado chute por cobertura, mas Samuel Kroon empatou na sequência. O placar beneficiava os anfitriões e se arrastou até os 39 do segundo tempo, quando veio a reviravolta dos Vermelhos. Anthony van den Hurk marcou o segundo de cabeça e Rasmus Karkalainen, aproveitando uma bobeira da defesa adversária, fechou a conta aos 45, sem precisar de prorrogação. Seriam seis minutos de acréscimos, até que a invasão em campo desatasse para celebrar o feito.

A vitória teve certo gosto de revanche para o Helsingborgs, já que o rebaixamento em 2016 aconteceu exatamente num duelo de playoffs contra o Halmstadts. A campanha de 2021 teve a participação de duas figurinhas conhecidas: o goleiro Anders Lindegaard, que se ausentou na decisão, e o ex-zagueiro Andreas Granqvist, que se aposentou durante a temporada para virar diretor esportivo. O antigo capitão da seleção voltou ao clube onde começou a carreira, em categorias de base prolíficas que ainda revelaram Henrik Larsson.

O Helsingborgs participou de dez edições das competições continentais entre 1996 e 2013, período no qual também faturou duas ligas (quebrando um jejum de 58 anos) e quatro copas. Ao longo da última década, contudo, os resultados minguaram e a própria estabilidade na primeira divisão se tornou um obstáculo. A forma como o acesso veio desta vez, ao menos, oferece a esperança de um ressurgimento.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo