Europa

Seis histórias para acompanhar nos últimos dias do mercado de inverno de 2022

Quem salvará o Newcastle? Dembélé sai do Barcelona? Quais os efeitos da iminente chegada de Vlahovic à Juventus?

O mercado de inverno do futebol europeu não é dos mais animados. Negócios no meio da temporada não são encorajados pelo famoso planejamento, e os jogadores têm 18 meses de contrato – ou seja, seus empregadores ainda mantêm muito controle – ou seis e estarão disponíveis sem taxa de transferência muito em breve. Serve mais para ajustes, para oportunidades ou para quem está desesperado – alô, Newcastle! Selecionamos algumas histórias que valem a sua atenção até segunda-feira, último dia para transferências na Europa.

Para salvar o Newcastle

Se você entrar em uma loja de roupas anunciando que tem todo o dinheiro do mundo e precisa comprar uma calça para não voltar seminu para casa, sabe o que acontece? Lei simples de mercado: o preço da calça sobe. É a realidade do Newcastle. O mercado de inverno costuma ser mais difícil normalmente, e todo diretor de futebol mais ou menos espero tentará aproveitar o desespero dos Magpies, que gostariam de evitar começar a sua era milionária na segunda divisão. Anthony Martial havia dado sua palavra ao Sevilla. Teria sido um grande reforço. O Manchester United está pedindo um pacote total de £ 15 milhões, incluindo um salgado bônus em caso de sobrevivência, segundo a imprensa local, para emprestar Jesse Lingard até o fim da temporada. Até para a segunda maior reserva de petróleo do mundo é um valor absurdo por um jogador que pode chegar sem taxa de transferência daqui a seis meses, quando seu contrato termina. O negócio que parece mais encaminhado é o de Bruno Guimarães, por uma proposta avaliada em € 40 milhões mais bônus. Ele teria seu salário quadruplicado, de acordo com o L’Equipe. O que mais o Newcastle conseguirá fazer para reforçar suas chances de permanecer na Premier League? A tentativa por Diego Carlos, do Sevilla, foi frustrada. O clube procura nomes para quase todas as posições.

Para onde vai Ousmane Dembélé?

Ousmane Dembélé, do Barcelona (Jose Manuel Vidal/Imago/OneFootball)

O Barcelona está com um poder de compra surpreendente para um clube que seis meses atrás deixou o maior jogador da sua história ir embora porque não conseguia pagá-lo. A aposentadoria de Agüero abriu espaço na folha salarial para encaixar Ferrán Torres. Ainda assim, houve um compromisso de € 55 milhões de euros. O próximo negócio parece ser o retorno de Adama Traoré, que passou pela base catalã. Reforço um pouco estranho: não é um jogador que se encaixa no estilo de Xavi e não tem conseguido muita regularidade no Wolverhampton. Emprestado, com opção de compra de € 30 milhões, segundo o Guardian. Ele seria o substituto de Ousmane Dembélé. O francês, contratado para o lugar de Neymar em 2017 por um valor exorbitante, deve procurar um novo clube nestes últimos dias de mercado. Seu contrato termina em seis meses e as negociações para renová-lo emperraram. O Barça parece ter decidido finalmente se livrar de um jogador que chegou cheio de promessa e entregou muito pouco, afetado por um excesso de lesões e comportamento errático. Por esse histórico, Dembélé seria uma aposta neste momento, mas quem a fizer, e ganhá-la, pode levar um ótimo impulso para a segunda metade da temporada porque bola ele tem para caramba.

Dusan Vlahovic e o efeito dominó

Dusan Vlahovic, da Fiorentina (Gabriele Maltinti/Getty Images / OneFootball)

A Juventus deve anunciar a contratação do sérvio Dusan Vlahovic muito em breve. O mais interessante é acompanhar o efeito dominó. Quem a Fiorentina contratará para o lugar dele? Com os € 75 milhões que receberá da Velha Senhora, está próximo de fechar com o brasileiro Arthur Cabral, fazendo muitos gols pelo Basel. Havia reforçado o ataque com Piatek e também há rumores de que contrataria o argentino Taty Castellanos, do New York City, que estava na mira do Palmeiras. A chegada de Vlahovic pode ajudar a convencer Allegri a abrir mão de Álvaro Morata, na lista do Barcelona. A negociação ainda é difícil. Ele pertence ao Atlético de Madrid e, embora a Juventus não pareça inclinada a comprá-lo em definitivo, gostaria de usar o útil Morata até o fim da temporada. E tem mais uma história: o contrato de Paulo Dybala entrou em seus últimos seis meses, e as negociações emperraram. A Juventus terá que tomar a difícil decisão entre apostar em uma renovação ou aproveitar os últimos dias em que poderá fazer algum dinheiro com o argentino, sob o risco de perdê-lo sem receber nada em alguns meses.

Conte ficará satisfeito? (spoiler: não)

Antonio Conte, do Tottenham (Getty Images / OneFootball)

Antonio Conte cobrou reforços para o mercado de janeiro. Ele cobra reforços em todos os mercados. Entra no Carrefour e fica decepcionado se não sair de lá com mais um atacante. Mas por enquanto a porta de saída parece mais movimentada que a de entrada. Maior contratação da história do Tottenham, Tanguy Ndombélé está perto de sair por empréstimo para o Paris Saint-Germain. Apesar de espasmos de recuperação, não conseguiu regularidade nem com José Mourinho, nem com Conte. Tentará com o técnico que comandava os Spurs quando ele chegou à Inglaterra. Dele Alli, cujo futebol simplesmente desapareceu da noite para o dia, também deve ser negociado. Steven Bergwijn interessa ao Ajax. As chegadas estão mais difíceis. Conte chegou a dizer que o Tottenham tinha que “fazer alguma coisa” mesmo que não fosse a “melhor oportunidade”. Sinal de desespero. Adama Traoré estava na mira, antes de se aproximar do Barcelona. O clube também negocia com o ponta Luis Díaz, do Porto, e o meia Sofyan Amrabat, da Fiorentina, mas há pouco tempo para assinar os contratos.

Libertem Van de Beek

Donny van de Beek, do Manchester United (Gareth Copley/Imago/OneFootball)

Donny van de Beek parecia mais uma promissora cria das categorias de base do Ajax. Fez uma ótima Champions League naquela campanha que terminou na semifinal. Entrou na área na hora certa, fez gols. Pareceu, também, uma boa contratação do Manchester United que acrescentaria mais qualidade ao meio-campo liderado por Bruno Fernandes. Mas o cara simplesmente não joga. Em dois anos de Old Trafford, fez 50 jogos, marcou duas vezes, deu duas assistências e tem uma única sequência de duas partidas como titular. Após Martial ser emprestado ao Sevilla, Van de Beek é outro que poderia se beneficiar de novos ares. A ideia do United é emprestá-lo sem opção de compra para dar ao técnico que será contratado para a próxima temporada a chance de decidir se quer contar com ele ou não. Van de Beek quer um empréstimo, Ralf Rangnick prefere mantê-lo, segundo o Manchester Evening News, especialmente se for para cedê-lo ao Crystal Palace. O Valencia também está na jogada.

O que fazer com Aubameyang?

Aubameyang comemora com Smith Rowe ao fundo (Imago / OneFootball)

O problema do Arsenal é que até as boas notícias em pouco tempo ficam ruins. Foi assim com Mesut Özil, está sendo assim com Pierre-Emerick Aubakmeyang. A renovação do atacante exigiu grande esforço e foi comemorada. Agora, ele é um problemaço para o técnico Mikel Arteta. Perdeu a braçadeira de capitão por problemas disciplinares, não atua desde 6 de dezembro e estava treinando afastado do time principal antes de se apresentar à seleção do Gabão para a disputa da Copa Africana de Nações. Foi mandado de volta após um exame identificar problemas cardíacos. Ele ainda tem 18 meses de contrato. O Al Nassr, da Arábia Saudita, se interessou em levá-lo por empréstimo. Mas, se ele estiver disponível, e com saúde, muitos gostariam de aproveitar a chance de contratar um dos melhores atacantes do mundo em um momento de baixa. O Barcelona esteve ligado a ele. De qualquer maneira, o Arsenal quer um atacante. Perdeu Dusan Vlahovic para a Juventus. Dominic Calvert-Lewin e Alexander Isak são as alternativas. Também havia o interesse por Guimarães, mais próximo do Newcastle.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo