Champions LeagueEuropa

Pé quente: Santa Cruz marca e coloca Málaga nas quartas

O Málaga não entrou para se render à tradição do Porto. Em La Rosaleda, a partida que definiu quem dois dois seguiria na Liga dos Campeões foi repleta de emoções e até de vontade, excessiva em algumas divididas. Os Boquerones lutaram demais para sair na frente e igualar o agregado, favorável aos Dragões antes do apito inicial. Vencendo por 2 a 0, os albiazules seguem fazendo história na Europa.

Foi acima de tudo um jogo muito brigado. Vários carrinhos e faltas na lateral mostravam que os portugueses estavam com os nervos à flor da pele e em menos de trinta minutos levaram três cartões amarelos, com Alex Sandro, Otamendi e Defour, todos eles mostrando certo destempero com o clima do duelo na Andaluzia.

Encurralando o Porto, o Málaga trabalhava bem a bola até chegar na área de Hélton, que foi obrigado a salvar sua equipe com boas defesas. Até que Isco acertou um chute de longe, no ângulo, para abrir o placar. A essa altura, os portugueses se abalaram e abdicaram do ataque, tendência que marcou boa parte da segunda etapa.

Com a expulsão de Defour no começo da etapa complementar, os Dragões ficaram com a sua criação comprometida, somando isso à saída de João Moutinho no intervalo. Por outro lado, defensivamente, os Boquerones não correram muitos riscos, apertando bem a marcação e não se adiantando muito em campo.

Sem uma referência ativa lá na frente, o Málaga ficou refém de seu marasmo nos 45 minutos finais. Joaquín não conseguia ficar com a bola, nem Isco, que teve poucos espaços. O jeito para Manuel Pellegrini foi mesmo colocar Roque Santa Cruz na vaga de Júlio Baptista, e a alteração não poderia surtir melhor efeito: no primeiro toque do paraguaio na bola, uma cabeçada firme no canto da meta de Hélton: 2 a 0.

Desesperado, o Porto partiu para o campo adversário com passes longos e sem técnica. Controlando muito melhor as iniciativas, os mandantes administraram bem a vantagem que servia para garantir a vaga nas oitavas. Foi justíssimo o resultado, visto que os lusos não apresentaram grande desafio nesta tarde.

Quase falido e sofrendo sanções da UEFA pelos problemas financeiros, o Málaga chegou até aqui com muita vontade e consciência, comprovada com a postura de hoje do seu elenco. Será que o encanto continua ou as quartas de final serão o capítulo final dos albiazules na Europa?

Formações iniciais

football formations

Destaque do jogo

Isco se movimentou muito bem, rodou por toda a extensão do meio-campo e criou boas chances. Foi o elo entre a meia e o ataque, especialmente quando acertou o chute que abriu o placar da partida. É muito perigoso e se não for marcado, pode decidir os jogos do Málaga. Responsável por marcar um e dar assistência para o outro gol de sua equipe, o meia esquerda de 20 anos foi crucial contra o Porto.

Momento-chave

28 do segundo tempo. O jogo estava frio e dava pinta de que iria para o tempo extra. Manuel Pellegrini saca um Júlio Baptista inativo para promover a entrada do centroavante Roque Santa Cruz, conhecido matador. O paraguaio não foi acionado até os 32 minutos, quando num escanteio, Isco cruzou na área. Cabeçada, fundo das redes, Málaga nas quartas.

Os gols

43/1T – GOL DO MÁLAGA!
Isco carrega e acha espaço perto da meia lua, chuta forte e acerta o ângulo de Hélton!

38/2T – GOL DO MÁLAGA!
Escanteio alçado na área do Porto e Santa Cruz sobe sozinho para cabecear no canto!

Curiosidade

É a primeira vez desde 2003 que três espanhóis chegam entre os oito melhores da Liga dos Campeões. Outro dado interessante é o baixo número de nativos de Espanha e Portugal nas duas equipes. Pelo Málaga, apenas três espanhóis começaram jogando. Pelo Porto, apenas dois portugueses.

Ficha técnica

MÁLAGA 2X0 PORTO

Malaga_escudo Málaga

Willy Caballero, Weligton, Martín Demichelis, Antunes, Jesús Gámez, Manuel Iturra, Jéremy Toulalan, Joaquín (Camacho 44/2T), Izco, Julio Baptista (Roque Santa Cruz, 28/2T), Javier Saviola (Lucas Piazon, 29/2T). Técnico: Manuel Pellegrini

Porto Porto

Hélton, Nicolás Otamendi, Eliaquim Mangala, Danilo, Alex Sandro (Christian Atsu, 24/2T), Fernando, João Moutinho (James Rodríguez, 1/2T), Lucho González, Steven Defour, Silvestre Varela (Maicon, 13/2T), Jackson Martínez. Técnico: Vítor Pereira

Local: La Rosaleda (Málaga, ESP)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Gols: Isco, 43/1T, Santa Cruz, 33/2T
Cartões amarelos: Otamendi, 17/1T, Defour, 25/1T, Demichelis, 28/1T, Alex Sandro, 29/1T, Jesús Gámez, 32/2T, Toulalan 18/2T, Mangala, 38/2T
Cartões vermelhos: Defour, 4/2T

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo