Europa

Reflexos da goleada

A eliminação do Basel pelo Bayern Munique nas oitavas de final da Liga dos Campeões esteve longe de causar qualquer tipo de surpresa. Afinal, a qualidade do time bávaro dispensa comentários e os suíços, convenhamos, já haviam ido longe demais para suas próprias pretensões na competição.

Mas o que a torcida e até mesmo a pouco exigente imprensa suíça não engoliram foi a forma como a desclassificação aconteceu, com os humilhantes 7 a 0 aplicados na Allianz Arena.
Não precisava ser assim, é o que lamentam os RotBlau. Depois de eliminar o Manchester United na fase de grupos (com direito a empate em Old Trafford e vitória na Suíça) e de vencer o Bayern na partida de ida das oitavas, o que se esperava do Basel era que o time, pelo menos, lutasse.

Mas não lutou. E uma frase do capitão Marco Streller resume bem o espírito que tomou conta dos jogadores do Basel na partida. “Ficamos olhando para o relógio do estádio, rezando para que o tempo do jogo passasse depressa.” Para os helvéticos, era um pesadelo, visto por milhões de pessoas em todo o mundo.

A imprensa suíça, pouco afeita a críticas, dessa vez mostrou todo o seu descontentamento com a apresentação dos comandados de Heiko Vogel. Jornais classificaram a goleada como “vergonha”, “humilhação” e “final amargo”.

O Blick, mais importante jornal suíço, traduziu em suas notas de avaliação dos atletas a decepção com o time. Numa escala de 1 a 6, o goleiro Yan Sommer, por exemplo, recebeu nota 4 por “evitar uma derrota de dois dígitos”. E foi ele quem, mesmo tomando sete gols, recebeu a maior nota do time.

Para se ter uma ideia, os gols sofridos contra a equipe alemã representam 70% de todas as vezes que a meta do Basel foi vazada somando todas as partidas da primeira fase.

Felix Bingesser, importante articulista do Blick, escreveu que o Basel, agora, “voltou a vestir as calças da realidade”. Não faltaram também críticas ao técnico Heiko Vogel, considerado uma das gratas surpresas da temporada – era assistente técnico de Thorsten Fink, recusou a oferta de acompanhá-lo no Hamburg e levou o Basel à classificação na Liga dos Campeões.

Vogel foi criticado principalmente por ter escalado Cabral em lugar de Benjamin Huggel, que havia jogado bem na partida de ida. E também por abrir demais o time, achando que se jogasse ofensivamente poderia surpreender os bávaros em plena Munique.

O próprio site do clube destacou que os atletas mal dormiram na viagem de volta para a Suíça. Ironicamente, a página ainda insinuou que aqueles que pegaram no sono sonharam com Arjen Robben, Thomaz Müller e Mario Gomez.

A dúvida que fica agora é sobre o futuro do Basel. Em todas as entrevistas que concederam desde a goleada, tanto Vogel quanto os jogadores admitiram a vergonha pela maneira como a eliminação aconteceu – o que pode ser uma demonstração de brio para o restante da temporada.

O time folgou na rodada do final de semana do Campeonato Suíço (jogaria contra o Neuchâtel Xamax, excluído da competição) e aproveitou para fazer um amistoso com a seleção olímpica do Egito: foi derrotado por 4 a 3.

A próxima partida oficial será nesta quarta-feira (21), em casa, contra o Lausanne, pelas quartas de final da Copa da Suíça. Mais um confronto eliminatório, ótima possibilidade de testar o psicológico dos RotBlau – e de verificar como os jogadores serão tratados pela torcida.

É claro que a goleada sofrida contra o Bayern não apaga a excelente campanha que o Basel fez na Liga dos Campeões. A temporada 2011/12 ficará marcada como aquela em que o clube conseguiu passar por cima do poderoso Manchester United. E, muito provavelmente, também como aquela em que o Campeonato Suíço foi conquistado com absoluta tranquilidade (o time tem 11 pontos de vantagem e dois jogos a menos que o Luzern, segundo colocado).

A eliminação na Alemanha era inevitável. O que a torcida lamenta e também jamais esquecerá é a forma como ela aconteceu.

CURTAS

ÁUSTRIA

– O Red Bull Salzburg manteve a ponta do Campeonato Austríaco ao passar pelo lanterna Kapfenberg por 1 a 0, fora de casa

– A dupla de Viena, que vinha dividindo a liderança com os touros vermelhos, tropeçou. O Rapid empatou com o Mattersburg por 1 a 1 e o Áustria ficou no 0 a 0 com o Wiener Neustadt.

– Na Erste Liga, o Altach reassumiu a liderança ao ganhar do St. Pölten por 3 a 1 e ver o St. Andrä perder para o Austria Lustenau por 2 a 1.

SUÍÇA

– O Luzern não aproveitou a folga do Basel na tabela e apenas empatou por 0 a 0 com o Sion, mesmo jogando em casa.

– Quem se recuperou foi o Grasshopper, que aplicou 2 a 0 no Young Boys, outro que perdeu chance de encostar no líder.

– Na Challenge League, o líder St. Gallen empatou por 0 a 0 com o Wohlen em casa, mas aumentou sua vantagem (que agora é de 14 pontos) sobre o Bellizona, que perdeu fora para o Winterthur por 1 a 0.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo