Europa

Qual é o quesito em que Richarlison é muito melhor que Mbappé?

Richarlison dá banho em Mbappé considerando trabalho defensivo, segundo levantamento do CIES

Há alguma estatística que o atacante brasileiro Richarlison possa ser muito superior do que o francês Kylian Mbappé, um dos grandes talentos da geração? Um levantamento do Observatório do Futebol (CIES) divulgado nesta quarta-feira (8) mostra que sim, e com uma larga vantagem para o jogador do Tottenham.

Considerando as grandes cinco ligas da Europa (Inglaterra, Espanha, Alemanha, França e Itália), Richarlison é o segundo melhor atacante no trabalho defensivo, atrás apenas do colega Son Heung-min, também dos Spurs, o que mostra o trabalho intenso realizado pelo técnico Ange Postecoglou.

— [Son e Richarlison líderes,] O que reflete o forte empenho na fase defensiva que o técnico do Spurs, Ange Postecoglou, exige dos atacantes, e talvez explique a recente queda no desempenho [recente] — explica o CIES no relatório semanal.

O ranking foi definido levando em consideração dois aspectos: a distância percorrida em alta velocidade na fase defensiva (usando dados do SkillCorner) e o número de pressões exercidas sobre os adversários sem contato físico ou na bola (Wyscout). Só foram inclusos centroavantes, pontas e segundos atacantes que atuaram pelo menos 1200 minutos no campeonato nacional na temporada atual até 1º de maio de 2024.

De 0 a 100, Son atingiu a pontuação máxima, sendo 100 em distância percorrida e 86,6 em pressões, enquanto Richarlison ficou com 88,4 — 89,9 (distância) e 76,8 (pressão). Moritz Broschinsky, do Bochum, fecha o pódio com 86,5. De todo o top-10, metade são de jogadores da Premier League.

Na outra ponta do ranking está Mbappé, o terceiro jogador nos principais campeonatos menos intenso no trabalho defensivo, com média de apenas 10,9. Apenas Mason Greenwood (2,8), do Getafe, e Romelu Lukaku (5,1), da Roma, são menos dedicados em aspectos defensivos na elite europeia.

Os 10 atacantes que mais pressionam na fase defensiva nas cinco grandes ligas da Europa

  1. Son (Tottenham): 100
  2. Richarlison (Tottenham): 88,4
  3. Broschinsky (Bochum): 86,5
  4. Mikel Oyarzabal (Real Sociedad): 83,7
  5. Jonathan David (Lille): 81,0
  6. Elijah Adebayo (Luton Town): 79,8
  7. Myrto Uzuni (Granada): 79,2
  8. Benjamin Sesko (RB Leipzig): 78,2
  9. Anthony Gordon (Newcastle): 72,8
  10. Miguel Almirón (Newcastle): 70,9

Os menos dedicados defensivamente

  1. Greenwood (Getafe): 2,8
  2. Lukaku (Roma): 5,1
  3. Mbappé (PSG): 10,9
  4. Rafael Leão (Milan): 13,1
  5. Duván Zapata (Torino): 13,5
  6. Vedat Muriqi (Mallorca): 14,2
  7. Ivan Toney (Brentford): 14,7
  8. Moses Simon (Nantes): 14,8
  9. Gerard Moreno (Villarreal): 17,0
  10. Riccardo Sottil (Fiorentina): 17,7

Fora da Europa, apenas um nome

O CIES não levou em conta apenas números das cinco grandes ligas, e levantou os dados dos 30 principais campeonatos do mundo — até nesse cenário, Son é o líder. Não há nenhum jogador do Campeonato Brasileiro ou atacante verde e amarelo em outra liga. Ao tirar a elite europeia, aparece apenas um atleta de fora da Europa.

Trata-se do centroavante mexicano Ricardo Marín, do Chivas Guadalajara, o terceiro nessas competições menores, com média de 89,3, sendo 75,6 de distância percorrida e 91,3 em pressões exercidas. Ele está atrás apenas de ManFred Ugalde (95,5), parte da temporada no Twente e agora no Spartak Moscou, e Brandon Tomás (93,2), do PAOK, dupla que figura na sequência do Son considerando os 30 campeonatos analisados pelo CIES.

Também houve um recorte entre a segunda divisão de Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França. Neste cenário, o top-3 tem Johannes Eggestein (93,2), do St. Pauli, Patrick Bamford (87,7), Leeds United, e Jay Stansfield (87,3), do Birminghan City.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo