Europa

O primeiro gol de Vágner Love pelo Midtjylland arrancou um empate aos 48 do segundo tempo

Vágner Love fazia seu segundo jogo na Dinamarca e, mesmo saindo do banco aos 41 do segundo tempo, garantiu um ponto ao Midtjylland

Vágner Love protagonizará uma história curiosa nesta reta final de temporada, após se transferir ao Midtjylland. O centroavante deixou o Kairat Almaty como ídolo e, aos 37 anos, ainda conseguiu uma vaguinha para ser uma referência na região brasileira do clube dinamarquês, na briga pelo título nacional. Pois o veterano também mostrou, em sua segunda partida, que não chegou para ser coadjuvante. Neste domingo, Love saiu do banco e marcou, aos 48 do segundo tempo, seu primeiro gol pela equipe – o tento que rendeu o empate por 2 a 2 contra o Odense fora de casa.

O Midtjylland disputou os mata-matas da Conference League, mas Vágner Love não saiu do banco nas partidas contra o PAOK, que se classificou nos pênaltis. A estreia havia acontecido na rodada anterior do Campeonato Dinamarquês, após o fim da pausa de inverno, quando o medalhão saiu do banco e pouco pôde fazer na derrota por 2 a 0 contra o Aalborg. Desta vez, Love pelo menos garantiu um pontinho diante do Odense. O Midtjylland abriu o placar com Júnior Brumado, mas Issam Jebali e Erik Sviatchenko deram a virada para o time da casa. O veterano saiu do banco apenas aos 41 do segundo tempo, no lugar do ala Nikolas Dyhr. Sete minutos depois, aos 48, foi oportunista para buscar o empate aos visitantes. Após cobrança de falta na área, o brasileiro recebeu a bola ajeitada, conseguiu domar na raça e bateu no canto para vencer o goleiro.

O Midtjylland atualmente ocupa a segunda colocação do Campeonato Dinamarquês. Os tropeços recentes permitiram que o Copenhague ganhasse a liderança e abrisse uma vantagem de três pontos. O Midtjylland é um dos principais perseguidores, ao lado do atual campeão Brondby, ambos somando 36 pontos. Com o fim da campanha na Conference, o time se concentrará na competição doméstica. Será a chance de Love buscar um título de liga nacional no quarto país diferente, após as honrarias acumuladas por Brasil, Rússia e Cazaquistão.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo