Europa

Nove ligas europeias de segundo escalão se unem para negociar em conjunto seus direitos de transmissão

União representa mais de 1,5 mil partidas, em negociações internacionais que pretendem aumentar as receitas desses campeonatos

As ligas menores da Europa perderam força nos últimos anos, com a concentração de dinheiro nas principais competições do continente, e a ideia do Superliga é uma ameaça a mais à sobrevivência. Assim, nove campeonatos europeus de segundo escalão tomaram uma iniciativa interessante em busca de maiores receitas: resolveram negociar seus direitos de transmissão em conjunto. Desta maneira, pretendem facilitar negociações e aumentar a atratividade para penetrar em novos mercados estrangeiros.

Segundo o site Sportico, as ligas envolvidas são: Campeonato Suíço, Campeonato Norueguês, Campeonato Dinamarquês, Campeonato Polonês, Campeonato Norte-Irlandês, Campeonato Eslovaco, Campeonato Islandês, Campeonato Cazaque e Campeonato Letão. A iniciativa é apoiada pela European Leagues, entidade que representa todas as ligas nacionais da Europa e foi uma importante voz contrária ao projeto da Superliga Europeia, junto com a Associação Europeia de Clubes (ECA).

Os pacotes de direitos de transmissão oferecidos pelas nove ligas incluem 116 equipes e mais de 1,5 mil partidas anuais. Além disso, há uma vantagem particular: como existem alguns campeonatos que adotam o calendário europeu e outros que adotam o calendário anual, a abrangência do pacote garante partidas de janeiro a dezembro, sem intervalos. Conforme a previsão inicial, os pacotes devem custar de US$5 milhões a US$20 milhões aos interessados, garantindo três temporadas.

“A combinação de ligas de inverno e verão brinda um futebol contínuo durante todo o ano e também uma oportunidade maior para que os torcedores sigam os jogadores internacionais, mesmo quando trocam de ligas. Acreditamos que tanto as redes de televisão tradicionais como os novos atores darão um valor mais alto a esses direitos que em temporadas passadas, quando essas ligas comercializaram seus direitos internacionais individualmente”, afirma Chris Gerstle, responsável pelo desenvolvimento comercial da European League.

A European Leagues espera que outros campeonatos se juntem a esse pacote de negociações no futuro. Atualmente, esses direitos de transmissão costumam ser vendidos individualmente ou através de agências. Das nove ligas que integram o projeto inicial, apenas Dinamarca e Polônia aparecem entre os primeiros 20 colocados no Ranking da Uefa.

A European Leagues já tinha coordenado um movimento similar entre 16 de seus membros, para fornecer dados estatísticos para sites de apostas. Tal agrupamento inclui ligas mais importantes – como Portugal, Países Baixos / Holanda, Bélgica, Áustria, Grécia, Suécia, Sérvia, Romênia e República Tcheca. Os direitos de televisão, de qualquer maneira, têm outra dimensão na geração de dinheiro e na popularização desses campeonatos. É ver como será a penetração desse projeto e as consequências em médio prazo, podendo impulsionar os clubes além do dinheiro da venda de atletas ou das premiações da Uefa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo