EuropaLigue 1

O Nice pegou dois pênaltis e anotou uma pintura no fim para vencer o Monaco no dérbi

A Ligue 1 começa suficientemente aberta nessa temporada. O Paris Saint-Germain ainda não engrenou neste início de trabalho de Luis Enrique. Enquanto isso, há um grupo respeitável de candidatos a lutar por vaga na Champions League e, com sorte, também por título. A rodada desta sexta-feira começou com um confronto direto neste sentido, entre Monaco e Nice, num Dérbi da Côte d’Azur valendo a liderança. Pois a partida no Estádio Louis II ofereceu muita emoção, numa vitória agonizante dos visitantes dentro do principado. O goleiro Marcin Bulka defendeu dois pênaltis de Folarin Balogun e, no apagar das luzes, uma pintura de Jérémie Boga valeu o triunfo do Nice por 1 a 0. Os rubro-negros assumem a primeira colocação, invictos e com um triunfo sobre o PSG na bagagem.

O Monaco ocupava a primeira posição até então, invicto na largada da campanha. O time apresenta uma veia ofensiva no início do trabalho de Adi Hütter e possui o melhor ataque da competição até o momento, com 15 gols. A equipe titular dos monegascos nesta sexta tinha bons nomes. O goleiro Philipp Köhn protegia a meta, com uma defesa liderada pelo recuado Denis Zakaria. O 3-4-3 tinha Vanderson e Caio Henrique nas alas, além de Mohamed Camara e Youssouf Fofana como dois bons volantes. Aleksandr Golovin e Takumi Minamino davam apoio a Folarin Balogun no ataque. O banco ainda contava com a opção do artilheiro Wissam Ben Yedder.

Já o Nice também vive um início de ciclo com Francesco Farioli, jovem treinador credenciado por seu trabalho anterior ao lado de Roberto de Zerbi. Por enquanto, chama mais atenção o ótimo rendimento defensivo do time, o melhor da Ligue 1, com só quatro gols sofridos. Marcin Bulka é o novo titular no gol, enquanto a zaga se beneficia da ótima dupla formada por Jean-Clair Todibo e o capitão Dante. Jordan Lotomba é outro que merece menção pelo bom trabalho na lateral. O meio também tem qualidade com Khéphren Thuram e Morgan Sanson. Já na frente, Terem Moffi lidera o setor com o apoio de Gaëtan Laborde e Sofiane Diop. Isso sem ignorar bons reservas, como Youcef Atal e o decisivo Jérémie Boga.

Como foi o jogo

A história da partida poderia ser bastante diferente, não fosse a incompetência de Balogun, escalado pela primeira vez como titular no lugar de Ben Yedder. O atacante poderia ter aberto o placar aos 12 minutos, num pênalti para o Monaco. Bateu mal e facilitou a defesa de Bulka. Apesar do risco logo de cara, o Nice pressionou mais no primeiro tempo. A equipe tinha uma postura mais vertical quando recuperava a bola e martelou bastante contra a meta de Köhn. O goleiro foi importante para manter o placar zerado, enquanto Diop vacilava pela falta de pontaria. Já nos acréscimos, quando Balogun tentou se redimir, mandou uma cabeçada na trave em ótimas condições.

O filme também se repetiu no segundo tempo. Aos dez minutos, o Monaco ganhou outro pênalti. Balogun voltou à marca da cal e resolveu encher o pé, mas sem mudar o canto. Bulka negou o gol do americano de novo, sem nem precisar saltar tanto assim. A segunda etapa teve mais alternâncias entre os times, embora o Nice continuasse sendo mais agressivo. Youssouf Ndayishimiye teve a chance de abrir o placar aos 32, mas parou no travessão. Já Ben Yedder entrou no lugar de Balogun e balançou as redes aos 39, mas o tento monegasco acabou anulado pelo VAR. O herói seria outro substituto, Jérémie Boga, fazendo a diferença nos acréscimos.

O gol da vitória do Nice saiu aos 46 minutos, numa linda jogada individual de Boga. O atacante pegou a bola ainda na intermediária e disparou em diagonal, deixando os marcadores comendo poeira – com uma boa dose de liberdade também, é verdade. Dentro da área, diante do enorme clarão, Boga fingiu que ia chutar e matou qualquer possibilidade de um bloqueio. Então, bateu firme, num chute rasteiro sem muitas chances a Köhn. Resolveu uma partida que, desde já, pareceu ter o peso de duas equipes que se candidatam à Champions. Ao apito final, grande comemoração pelo triunfo no dérbi.

O Nice assume a liderança provisória da Ligue 1 com 12 pontos. A equipe empatou as três primeiras partidas, mas emendou três vitórias desde então, batendo também Strasbourg e PSG. O Monaco fica na segunda colocação com 11 pontos, correndo o risco de despencar na tabela na sequência da rodada. E quem esfrega as mãos é o Brest, que pode assumir a dianteira no final de semana. Com dez pontos, os alvirrubros pegarão um Lyon afundado na crise. Sinais de como este início de Ligue 1 é imprevisível.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo