Europa

Luiz Gustavo arriscou do meio da rua e, com um belo gol, salvou o Fenerbahçe no finalzinho

O Campeonato Turco recomeçou também nesta sexta-feira como um dos mais disputados da Europa nesta reta final. O líder Trabzonspor (que venceu seu jogo) tenta quebrar o jejum de 36 anos, perseguido de perto pelo Istambul Basaksehir, que sonha com a taça inédita. O Galatasaray também está no páreo e o Sivasspor, que liderou parte da campanha, é a grande zebra. O Fenerbahçe, no entanto, está distante e já seria um feito alcançar a vaga na Liga Europa. Na reabertura da liga, os Canários sofreram, mas venceram o Kayserispor por 2 a 1 no Estádio Sükrü Saraçoglu, com o papel de herói reservado ao volante Luiz Gustavo.

O Fenerbahçe conquistou apenas um ponto nas cinco rodadas anteriores à paralisação e perdeu fôlego na briga pelo título por isso, especialmente ao sucumbir no insano clássico contra o Galatasaray. E a situação parecia não mudar tanto nesta sexta, quando o lanterna Kayserispor fez o primeiro aos 14 do segundo tempo, numa falta cirúrgica de Bernard Mensah. Com um jogador a menos desde o primeiro tempo, o Fener só começou a reagir aos 42 do segundo, em pênalti convertido por Vedat Muriqi. Pois logo na sequência já se consumaria a virada. Luiz Gustavo pegou a bola na intermediária e bateu colocado, em tiro que saiu do alcance do goleiro Silviu Lung Junior.

O Fenerbahçe ocupa a sétima colocação. Tem 43 pontos na Süper Lig, precisando secar os concorrentes para diminuir as distâncias. Com mais sete partidas pela frente, os Canários necessitam tirar uma diferença de seis pontos para ir à Liga Europa. Já o Kayserispor está a três pontos de sair da zona de rebaixamento.

A Süper Lig tem transmissão do DAZN. Para assinar a plataforma, você pode acessar este link – e, por tabela, ajudar a Trivela.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo