EuropaPremier League

Lovren conta sua história como refugiado em documentário produzido pela LFC TV

A Guerra da Bósnia foi o conflito armado europeu que mais derramou sangue desde a Segunda Guerra Mundial. Foram quase quatro anos de puro belicismo e devastação até a negociação do Acordo de Dayton, pacto de paz assinado há pouco mais de vinte anos. Por ser um fato histórico recente, as marcas dele ainda se fazem muito vivas nos milhões de refugiados e exilados registrados da guerra. Um deles é Dejan Lovren, zagueiro do Liverpool e da seleção croata, que teve que fugir ainda pequeno com sua família para a Alemanha, onde a princípio teve uma vida confortável, mas depois passou pelas dificuldades que refugiados enfrentam até hoje até ser repelido do país. É o que ele conta no novo documentário produzido pela LFC TV, o canal dos Reds.

VEJA TAMBÉM: O atacante que deu novo rumo às crianças na Guerra da Bósnia

“Gostaria de conseguir explicar tudo o que aconteceu. Você escuta muitas histórias, mas ninguém sabe o que ocorreu de verdade. Aconteceu há pouco tempo. Simplesmente tudo mudou da noite para o dia. Todos começaram a guerrear uns entre os outros, pessoas de três culturas diferentes”, fala o defensor no trailer da produção do canal do Liverpool. “Eu só me lembro quando as sirenes começavam a tocar. Eu ficava tão assustado, porque pensava que eram bombas ou que alguma coisa iria acontecer naquele momento”, revela ainda. “Lembro também que minha mãe me levou para o porão e ficamos não sei quanto tempo sentados lá, eu acho que foi até as sirenes tocarem. Depois disso me lembro de mamãe, de meu tio e da esposa de meu tio. Pegamos o carro e dirigimos até Munique”.

No documentário chamado ‘Lovren: My Life as a Refugee’ (‘Lovren: Minha Vida como um Refugiado’ em português), que será lançado na próxima quarta-feira, dia 8, o jogador relembra mais detalhes de como sua infância se tornou turbulenta e como recomeçou sua vida na Croácia após sete anos vivendo em solo alemão. Ele também conta como se apaixonou pelo futebol ainda na condição de refugiado e as viagens que ele fazia por Munique, ainda muito novo e com pouco conhecimento da língua local, para ir até o centro de treinamento do Bayern, clube pelo qual ele confessa ter sido um torcedor ferrenho enquanto criança e sempre ter sonhado em jogar lá.

A série de relatos de um refugiado vem em boa hora, já que a crise dos imigrantes na Europa se acentuou de 2015 para cá e ganha novos capítulos desde então. A Alemanha recebeu cerca de 440 mil requerentes de asilo em um ano quando a Guerra da Bósnia estourou, e o passado acaba servindo de paralelo para o país quando o assunto é abrir suas portas para estrangeiros. Há duas décadas, os alemães, apesar de terem recebido bastante gente, erraram em sua política de acolhimento de refugiados em despejá-los com o fim da guerra, o que fez com que muitas pessoas que estavam reconstruindo suas vidas, como Lovren e sua família, tivessem que recomeçar o processo na volta a um lugar ainda devastado.

Veja o trailer do documentário sobre a história de Dejan Lovren como refugiado:

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo