Europa

Lord Bendtner segue muito bem: golaço na vitória do Rosenborg, líder na Noruega

Quando se falou em Nicklas Bendtner jogando no Rosenborg, a primeira reação é de estranhamento. O que se vê atualmente é a empolgação e a alegria dos torcedores e dirigentes do clube da Noruega. São seis jogos e três gols marcados. O último deles nesta segunda-feira, na vitória por 2 a 1 do Rosenborg contra o Sarpsborg. E não foi qualquer gol: foi um golaço.

LEIA TAMBÉM: Torcedores do Leyton Orient invadiram campo em protesto e forçaram paralisação do jogo

O jogador da seleção dinamarquesa começou no Arsenal, em 2005, mas passou por diversos clubes como Birmingham, Sunderland e Juventus, sempre por empréstimo. Depois foi para o Wolfsburg e na temporada passada estava no Nottingham Forest. Como não impressionou depois da primeira metade da temporada, acabou indo, de graça, para o Rosenborg, no início de março. Estreou na Supercopa da Noruega e deu um passe para gol. No Campeonato Norueguês, são três gols e o time na liderança.

Nesta segunda, ele marcou o primeiro gol do jogo logo a nove minutos. Aos 35, o Sarpsborg empatou o jogo com Joackim Thomassen. Só que um minuto depois, Mushaga Bakenga marcou o gol da vitória do Rosenborg. O time lidera o Norueguês com 16 pontos depois de seis partidas. O Sarpsborg é o segundo com 12.

Na Noruega, como nos outros países nórdicos, as ligas nacionais são disputadas de março a novembro. A causa, como você pode imaginar, é que o frio nessas regiões é pesado e jogar durante o inverno – justamente de dezembro a março – é uma missão duríssima. O jornal Dagbladet diz que o Rosenborg já considera um bom investimento e que o início é bom e que a “primavera fez Bendtner parecer um jogador de futebol de novo”. Mais do que isso, diz que que o dinamarquês precisará estar no topo em agosto, quando o clube precisará ainda mais dele.

Veja o golaço de Bendtner:

[embedcode get="script" playlist_id="match"]
Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo