Liga Europa

Brighton não se deixou atordoar com dois gols relâmpago e buscou o empate no Vélodrome

O Olympique de Marseille marcou duas vezes em dois minutos, mas não conseguiu segurar a vitória, que seria a primeira de Gattuso no comando técnico

A história do Brighton em competições europeias não começou muito bem. Foi derrotado em casa pelo AEK Atenas e saiu perdendo por 2 a 0 nesta quinta-feira no Vélodrome. A partida parecia caminhar para a primeira vitória de Gennaro Gattuso como técnico do Olympique de Marseille, mas os ingleses conseguiram correr atrás para minimizar o prejuízo e arrancaram o empate por 2 a 2, com um pênalti convertido por João Pedro aos 43 minutos do segundo tempo.

O grupo sempre pareceu equilibrado e tem os gregos na liderança com quatro pontos após duas rodadas. Marseille e o Ajax têm dois cada um, e o Brighton soma apenas um, mas está todo mundo muito vivo na briga por vaga na repescagem ou nas oitavas de final.

Quase um nocaute

O Olympique de Marseille entrou em campo com apenas uma vitória em seus últimos oito jogos. Gennaro Gattuso estreou no fim de semana perdendo do Monaco por 3 a 2 e quase repetiu a escalação. Houve duas mudanças: Leonardo Balerdi na defesa e Amine Harit no meio-campo. O Brighton vem de uma pesada goleada por 6 a 1 para o Aston Villa no último sábado, a terceira derrota em quatro partidas das Gaivotas. Roberto de Zerbi entrou com Ansu Fati no ataque, na vaga de Evan Ferguson, mudou a dupla de meias centrais, com Pascal Gross e Mahmoud Dahoud, e fez modificações na defesa também, na qual entraram Jan Paul van Hencke e Tariq Lamptey – um lateral direito deslocado para o lado esquerdo.

O Brighton não conseguiu aproveitar um erro de saída de bola de Pau López no começo da partida e ficou atordoado ao levar dois gols em um intervalo de poucos minutos. Aos 19, Jonathan Clauss fez uma bonita tabela com Joaquín Correa pela direita e cruzou rasteiro à marca do pênalti. O zagueiro Chancel Mbemba, que havia falhado contra o Ajax na primeira rodada, pegou de primeira para abrir o placar. Logo em seguida, Lewis Dunk vacilou na hora de afastar o passe e permitiu que Harit recolhesse na ponta direita. Outro centro rasteiro para Veretout ampliar.

Harit ainda testou os reflexos de Jason Steele com uma bomba de fora da área, espalmada por cima do travessão, e a situação estava ficando trágica para o Brighton, derrotado em casa pelo AEK Atenas em sua estreia em competições europeias. Houve uma pequena reação que não gerou o desconto por causa de duas grandes defesas de Pau López. Ele se esticou para desviar a cabeçada de Ansu Fati com a ponta dos dedos e saiu bem para abafar Danny Welbeck. As duas jogadas foram criadas em ótimos passes em profundidade do volante Dahoud.

Brighton corre atrás

O segundo tempo foi quase inteiro do Brighton. O Olympique de Marseille conseguiu apenas quatro finalizações, nenhuma no alvo, embora tenha tido uma chance importante para matar a partida. Os ingleses descontaram logo depois da retomada, com uma boa jogada de Tariq Lamptey pela direita. Kaoru Mitoma cruzou da linha de fundo, Welbeck deixou passar, e Pascal Gross mandou para dentro. Vitinha entrou no lugar de Aubameyang aos 17 minutos e, em seu primeiro lance, quase ampliou. Recebeu o lançamento direto de Pau López, foi bem no domínio e no drible para dentro, mas parou em um bloqueio providencial de Lewis Dunk na hora de marcar.

De Zerbi usou tudo que tinha para buscar o empate. Fez duas substituições duplas, introduzindo João Pedro e Billy Gilmour, depois Evan Ferguson e Simon Adingra. Se não conseguiu mais, pode colocar na conta de Pau López, que fez outra boa defesa, frustrando Mitoma que havia invadido a área após um lançamento pela esquerda antes de bater forte. A pressão inglesa deu frutos quando Lamptey pegou uma sobra dentro da área e deu o drible para dentro em cima de Clauss, que pisou o seu pé. João Pedro converteu o pênalti, e o Brighton arrancou um ponto importante.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo