Liga das Nações

Áustria, Gales, Hungria e República Tcheca asseguraram o acesso à elite na Liga das Nações, bem como uma chance extra à Copa de 2022

A Liga das Nações definiu nesta quarta-feira os dois últimos classificados ao Final Four, com Bélgica e Itália se juntando a Espanha e França. No entanto, também seria um dia decisivo às divisões inferiores. Áustria, Gales, Hungria e República Tcheca serão as novidades na elite da competição na temporada 2022/23, mas não apenas isso. As quatro seleções também ampliam suas chances de classificação à Copa do Mundo de 2022 com o acesso.

A Liga das Nações 2020/21, afinal, também faz parte do calendário das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. As Eliminatórias na Europa contarão com 10 grupos, nos quais apenas os líderes se classificarão diretamente ao Mundial do Catar. Os vice-líderes, por sua vez, poderão disputar a repescagem. E esta repescagem também incluirá duas equipes que conquistaram seus grupos na Liga das Nações, mas não conseguiram terminar nas duas primeiras colocações em sua chave nas Eliminatórias. Como é difícil imaginar um fiasco a esse ponto de Bélgica, Espanha, França ou Itália, é bem possível que essas duas vagas extras sobrem aos times que conquistaram o acesso na Liga B ou mesmo na Liga C.

Há um ranking formado pelos vencedores de cada grupo da Liga das Nações 2020/21, em ordem de prioridade a essas duas vagas extras na repescagem da Copa. As seleções são organizadas por sua pontuação total nos grupos e por sua divisão. França, Bélgica, Espanha e Itália ocupam, na ordem, as quatro primeiras colocações no ranking – com os franceses à frente por terem somado mais pontos nesta Liga das Nações. Depois aparecem Gales, Áustria, República Tcheca e Hungria, os campeões de seus grupos na Liga B, ordenados conforme suas pontuações em cada chave. Na sequência, estão Eslovênia, Montenegro, Albânia e Armênia, promovidos na Liga C. Por fim, Gibraltar e Ilhas Faroe, felizardos da Liga D.

Vamos a um exemplo: se dessas 14 seleções, França, Bélgica, Espanha, Itália, Áustria e República Tcheca terminassem nas duas primeiras colocações de seus grupos nas Eliminatórias, as duas vagas extras na repescagem sobrariam a Gales e Hungria. Se por ventura os galeses também se garantissem nas Eliminatórias, a vaga na repescagem cairia no colo da Eslovênia, e assim sucessivamente. O próprio formato da repescagem será parecido ao que ocorre na Liga das Nações: os 12 sobreviventes serão divididos em três chaves, com semifinais e final em jogos únicos para definir outras três seleções classificadas à Copa de 2022.

Nos jogos desta quarta-feira, a maior surpresa na segunda divisão da Liga das Nações aconteceu com o acesso da Hungria no Grupo B3. Nem tanto pela vitória por 2 a 0 sobre a Turquia, com gols de Dávid Sigér e Kevin Varga em Budapeste. Mais inesperada foi a goleada da Sérvia por 5 a 0 sobre a Rússia em Belgrado, com quatro gols apenas no primeiro tempo. Luka Jovic (duas vezes), Nemanja Radonjic, Dusan Vlahovic e Filip Mladenovic anotaram os tentos dos sérvios, que pouparam alguns titulares. Com isso, a Sérvia se salvou do rebaixamento e manteve na segundona os russos, que dependiam apenas de si para subir.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Outro resultado surpreendente foi o empate da Áustria por 1 a 1 contra a Noruega, em Viena, pelo Grupo B1. Por conta do surto de coronavírus no elenco, os noruegueses precisaram convocar uma “seleção B”, repleta de novatos. Mesmo assim, os nórdicos abriram o placar com Ghayas Zahid e poderiam levar o acesso com mais um gol. Os austríacos se safaram do vexame com um tento aos 49 do segundo tempo, assinalado por Adrian Grbic. O empate beneficiava os alpinos. No outro jogo, Irlanda do Norte e Romênia empataram por 1 a 1 em Belfast, com os norte-irlandeses já rebaixados.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

No Grupo B2, a República Tcheca fez sua parte e assumiu a liderança ao bater a Eslováquia por 2 a 0 em Plzen. Tomás Soucek e Zdenek Ondrásek anotaram os gols. A favorita era a Escócia, que dependia apenas de si, mas perdeu para Israel por 1 a 0. Manor Solomon fez o gol em Netanya, que safou os israelenses do descenso e rebaixou os eslovacos. Já no Grupo B4, Gales confirmou a melhor campanha ao vencer o confronto direto com a Finlândia por 3 a 1. Os visitantes ficaram com um a menos em Cardiff logo cedo, o que abriu o caminho aos galeses. Harry Wilson, Daniel James e Kieffer Moore fizeram os gols, enquanto Teemu Pukki descontou. Na parte inferior da tabela, o 0 a 0 em Dublin salvou a Irlanda e rebaixou a Bulgária.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Na Liga C, Montenegro já tinha conquistado o acesso na terça. A quarta foi de festa a Armênia, Eslovênia e Albânia. Pelo Grupo C2, a Armênia derrotou a Macedônia do Norte por 1 a 0, em confronto direto realizado no Chipre. A Eslovênia subiu no Grupo C3 ao segurar o empate por 0 a 0 com a Grécia, em confronto direto em Atenas. Já a Albânia fez sua parte ao bater Belarus por 3 a 2 em Tirana, quando os visitantes tinham a vantagem do empate. Moldávia x Cazaquistão e Estônia x Chipre disputarão os playoffs de rebaixamento, para evitar a quarta divisão. Os jogos de ida e volta acontecerão em março de 2022, com os perdedores caindo à Liga D – que, nesta terça, também havia definido a promoção de Ilhas Faroe e Gibraltar.

O Final Four da Liga das Nações acontecerá de 6 a 10 de outubro de 2021, na Itália. O sorteio das semifinais está marcado para 3 de dezembro. Além disso, também ficam definidos os potes ao sorteio das Eliminatórias da Copa de 2022. O chaveamento acontecerá em 7 de dezembro. O qualificatório concentrará sua fase de grupos entre março e novembro de 2021. Já os mata-matas da repescagem ocorrerão em março de 2022.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo