Liga das Nações

Após disputa de terceiro lugar, Courtois faz duras críticas ao calendário: “Não somos robôs”

O goleiro do Real Madrid está irritado com o que considera ser um jogo que existe apenas para dar mais dinheiro para a Uefa e também fez críticas mais amplas ao excesso de partidas

A disputa do terceiro lugar da Liga das Nações, entre Bélgica e Itália, ambas com equipes modificadas, levou o goleiro belga Thibaut Courtois a questionar o calendário do futebol internacional e a fazer duras críticas contra a Uefa e a Fifa.

A Liga das Nações foi uma competição criada para substituir amistosos. A próxima edição começa em junho porque a Copa do Mundo será disputada em novembro, no meio da temporada dos clubes. Ainda há um novo Mundial de Clubes idealizado pela Fifa, que também quer realizar o Mundial e a Eurocopa a cada dois anos.

E tudo isso após 18 meses em que a mesma quantidade de jogos teve que ser encaixada em menos tempo por causa da pandemia. “Esta partida é uma partida de dinheiro e temos que ser honestos sobre isso. Jogamos apenas porque para a Uefa é um dinheiro extra. Veja como os times mudaram. Se os dois times estivessem na final, haveria outros jogadores em campo. Isso mostra que jogamos partidas demais”, afirmou Courtois.

O goleiro do Real Madrid lembrou que a Uefa fez oposição à Superliga Europeia – uma ideia bastante incentivada pelo seu chefe, Florentino Pérez -, mas também não se preocupa com os jogadores. “Eles fizeram um campeonato extra (a Conference League)… é sempre a mesma coisa. Eles podem ficar bravos com outros times querendo a Superliga, mas eles não se importam com os jogadores. Se importam apenas com seus bolsos. É ruim que os jogadores não falem sobre isso. E agora você ouve sobre uma Eurocopa e uma Copa do Mundo todos os anos. Quando vamos descansar? Nunca”, disse.

“No fim das contas, os principais jogadores se machucarão. É algo que precisaria ser muito mais bem cuidado. Não somos robôs. É apenas mais e mais jogos e menos descanso para nós e ninguém se importa conosco. Ano que vem temos uma Copa do Mundo, temos que jogar até o fim de junho novamente. Vamos nos machucar. Ninguém se importa mais com os jogadores. Três semanas de férias não é o bastante para os jogadores conseguirem continuar por 12 meses no nível mais alto. Se não dissermos nada, sempre será a mesma coisa”, completou.

Courtois foi um dos titulares mantidos pelo técnico Roberto Martínez na derrota para a Itália por 2 a 1 na disputa pelo terceiro lugar da segunda edição da Liga das Nações.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo