Copa do MundoEliminatórias da CopaEuropa

Kosovo fez seu primeiro jogo oficial, e garantiu o orgulho de seu povo ao arrancar um empate

Pela primeira vez, o hino de Kosovo soou alto antes de uma partida oficial. Que se discutam as motivações que levaram a federação a se tornar membro da Uefa e da Fifa, não se pode tirar ou diminuir a manifestação de orgulho de seu povo. Mesmo sem serem plenamente reconhecidos como um país, os kosovares possuem sua identidade como nação, manifesta através da seleção. E, mesmo sem a vitória, o primeiro jogo marca demais. Kosovo arrancou um grande resultado, ao buscar o empate por 1 a 1 contra a Finlândia, pelas Eliminatórias da Copa de 2018.

VEJA TAMBÉM: Xhaka não defenderá a seleção kosovar e coloca a culpa por isso na Fifa

A seleção kosovar disputa amistosos regularmente desde 1993 e começou a ter suas partidas reconhecidas pela Fifa desde 2014. No entanto, a admissão na entidade mudou o patamar da equipe nacional nos últimos meses. Além dos jogadores que já apareciam no elenco, a federação ganhou a permissão para importar aqueles que quisessem “trocar” de seleção – atletas com a nacionalidade kosovar que, durante os anos em que o time não era membro, defendiam outros países. O processo resultou em uma corrida contra o tempo, com Kosovo entrando com pedidos de transferência até a última semana.

Ao todo, nove jogadores tiveram a mudança sancionada pela Fifa. Entre eles, Valon Berisha foi quem mais precisou esperar, ganhando a permissão apenas cinco horas antes do pontapé inicial em Turku. Justamente ele, que terminaria como o herói da noite. Apesar das dificuldades na preparação, Kosovo fez uma partida de igual para igual contra a Finlândia em Turku. Os visitantes tiveram mais posse de bola durante o primeiro tempo e chegaram a acertar uma bola na trave, mas viram os finlandeses abrirem o placar. Já no segundo tempo, Berisha marcou o gol de empate cobrando pênalti. O meio-campista é filho de kosovares, nascido na Suécia e crescido na Noruega, e até junho defendia a seleção norueguesa.

O ambiente no estádio, aliás, era especial. Várias bandeiras de Kosovo se espalhavam pelo setor visitante, onde a torcida da pequena seleção marcava presença em bom número. Além disso, os jogadores kosovares foram aplaudidos por todo o público. Kosovo volta a entrar em campo em outubro, quando recebe a Croácia na cidade albanesa de Shkodër – onde mandará seus jogos neste primeiro momento, para evitar incidentes diplomáticos em seu território, pertencente à Sérvia. Até lá, ainda há a expectativa de que novos jogadores ganhem a permissão da Fifa para mudar de seleção. Përparim Hetemaj, que pediu para não ser convocado pela Finlândia no duelo contra o seu país-natal, é um dos nomes esperados.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo