Europa

Inflação evidente: 15 clubes quebraram seus recordes no mercado

Não há nenhuma informação oficial, mas Gareth Bale vem sendo tratado como a contratação mais cara da história. Enquanto os dirigentes do Real Madrid dizem que pagaram € 91 milhões pelo galês, Daniel Levy e os cartolas do Tottenham relatam um ganho de € 100 milhões. E os ingleses prometem divulgar os documentos que comprovam suas palavras. Caso o valor seja confirmado, será a cereja do bolo em uma janela de transferências marcada pelos recordes.

Quinze clubes europeus quebraram suas marcas de maiores contratações, considerando os jogadores que custaram € 10 milhões ou mais. O Real Madrid encabeça a lista, que conta com outros gigantes do continente, como Arsenal, Napoli e Borussia Dortmund. Bancados por seus magnatas, Paris Saint-Germain e Monaco ultrapassaram duas vezes o recorde da Ligue 1. O Tottenham anotou o feito em dose dupla, com Erik Lamela e Roberto Soldado em seu topo, assim com o Dynamo Kiev, através de Dieumerci Mbokani e Younès Belhanda.

Números tão altos levam a duas constatações. A primeira é a de que não é o Fair Play Financeiro que irá brecar o ímpeto dos clubes na hora de buscar reforços, especialmente daqueles bancados por ricaços. Se é possível maquiar as contas de maneira a não ser prejudicado nas competições continentais, não há razão para buscar um equilíbrio entre compras e vendas.

Já a outra se coloca sobre a inflação no preço dos jogadores. Segundo o site Transfermarkt, oito dos dez reforços mais caros da janela foram contratados por uma quantia acima de seus valores de mercado – Radamel Falcao García e Mario Götze são as exceções.  No fim das contas, o futebol é um elemento secundário nessas loucuras, com a vaidade e a imagem sendo preponderantes para o gasto de fortunas. Não à toa, os recordes acabam sendo um elemento a mais para alimentar as impressões.

Os clubes que quebraram seus recordes em 2013/14*:

Real Madrid: Gareth Bale, por € 100 milhões
Paris Saint-Germain: Edinson Cavani, por € 64,5 milhões
Monaco: Radamel Falcao García, por € 60 milhões
Arsenal: Mesut Özil, por € 50 milhões
Napoli: Gonzalo Higuaín, por € 37 milhões
Tottenham: Roberto Soldado e Erik Lamela, por € 30 milhões
Borussia Dortmund: Henrikh Mkhitaryan, por € 27,5 milhões
Shakhtar Donetsk: Bernard, por € 25 milhões
West Ham: Andy Carroll, por € 17,5 milhões
Wolfsburg: Luiz Gustavo, por € 17,5 milhões
Lokomotiv Moscou: Mbark Boussoufa, por € 15 milhões
Swansea: Wilfried Bony, por € 13,9 milhões
Cardiff City: Gary Medel, por € 13 milhões
Dynamo Kiev: Dieumerci Mbokani e Younès Belhanda, por € 11 milhões
Norwich: Ricky van Wolfswinkel, por € 10 milhões

* Contratações acima de € 10 milhões

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo