Europa

Maior ganhador da história da loteria no Reino Unido agora quer comprar seu clube de coração, na segundona escocesa

Se você já sonhou em ganhar na loteria (e quem nunca teve esse acesso de loucura?), talvez em um de seus devaneios tenha imaginado como seria bancar o seu time de coração. Parece a realização mais carnal de um torcedor, negada apenas por “alguns números” da Mega Sena. Ainda assim, nada impede que a gente sonhe também pelos outros. E, na Escócia, tal conto de fadas pode se tornar realidade. Um grupo de torcedores fez sua proposta para comprar o Partick Thistle, atualmente lanterna da segunda divisão. Eles são bancados por Colin Weir, o homem que abocanhou a maior fortuna da história da loteria no Reino Unido. O intuito é nobre: além de alavancar a agremiação, também querem impedir que ela caia nas mãos de um novo proprietário estrangeiro, de intenções pouco conhecidas.

O Partick Thistle é um primo pobre do futebol de Glasgow. Eclipsado pelo gigantismo de Rangers e Celtic, a equipe fundada em 1876 historicamente vagou entre as duas primeiras divisões do Campeonato Escocês. Possui como grandes glórias a conquista da Copa da Escócia em 1921 e da Copa da Liga Escocesa em 1972. Já nas últimas décadas, tornou-se bem mais comum que os Jags vivessem na gangorra, acumulando descensos e acessos até a terceira divisão. A situação financeira não é das mais abastadas e, nos anos 1990, os torcedores chegaram a fazer uma campanha para arrecadar dinheiro e evitar a bancarrota.

Não que o cenário atual tenha melhorado tanto assim. Depois de algumas campanhas de meio de tabela no Campeonato Escocês, o Partick Thistle caiu à segunda divisão em 2018 e não mais voltou, chegando ao fundo do poço neste fraquíssimo início de temporada. Sem vitórias após seis rodadas, o clube já demitiu o seu primeiro treinador da campanha. A esperança de dias melhores vem a partir da venda da agremiação. E, para a torcida, o caminho mais viável está mesmo no dinheiro oferecido pelo sortudo Colin Weir, o tal ganhador da loteria.

A vida de Weir mudou em 2011. O escocês, um cameraman da televisão local já aposentado, acertou os números que renderam £161 milhões no EuroMillions – a principal loteria transnacional da União Europeia. Ao lado da esposa, o magnata já havia doado dinheiro ao Partick Thistle em 2013, na intenção de melhorar as categorias de base do clube de seu coração. Não à toa, o setor passou a ser chamado de Thistle Weir Youth Academy. Além disso, o fanático quitou as dívidas da agremiação. Segundo as suas contas mais recentes, o investimento total chega à casa dos £2,5 milhões. Em agradecimento ao torcedor ilustre, um setor das arquibancadas no Estádio Firhill passou a levar o nome de Colin Weir Stand a partir de 2016.

Aos 72 anos, Weir mantém seu interesse em apoiar o clube. Porém, com suas ressalvas. O milionário tinha reservado £6 milhões para construir um novo centro de treinamentos ao Partick Thistle, mas resolveu congelar o investimento em agosto. O torcedor alegava ter “incertezas” quanto ao futuro, diante dos rumores sobre a venda da agremiação a um consórcio estrangeiro bilionário. Ao mesmo tempo, por conta de problemas financeiros, surgiam notícias de cortes de investimentos no elenco feitos pela diretoria e em outras questões básicas – como os ônibus à disposição dos jogadores.

“Não posso oferecer benefícios de um dinheiro significativo e um novo CT para uma entidade desconhecida”, justificou Weir, com sua grande parcela de razão, à BBC. “As incertezas atuais sobre os potenciais novos donos, combinadas com a inexistência de um plano substantivo para o futuro do clube e a instabilidade causada pelas mudanças recentes da diretoria, significam que eu me sinto impossibilitado de fazer mais investimentos neste momento. Não ouvi nada do conselho ou dos acionistas majoritários que me dê confiança para continuar meu apoio”.

Já nesta semana, Weir voltou a cena. Ele apoia o Thistle For Ever (TfE), grupo que também fez uma proposta paralela para se tornar dono do Partick Thistle. A entidade formada pelos próprios torcedores e por entidades associadas deseja adquirir dois setores do Estádio Firhill em posse de um grupo externo e promete realizar uma administração voltada à comunidade. Weir deseja viabilizar financeiramente a compra e deixar a gestão ao Thistle For Ever. Além disso, o magnata retomaria o seu projeto de construir um novo centro de treinamentos ao clube.

“Colin Weir, que anteriormente investiu de forma significativa no Thistle e em suas categorias de base, irá financiar a proposta do TfE para comprar as ações integralmente. Seu apoio acontece sem condições e ele não participará da administração após a conclusão da aquisição. Além disso, o Senhor Weir financiará o plano de comprar dois setores do estádio junto à Firhill Developments, o que deixará assim todo o clube e seus ativos nas mãos dos torcedores pela primeira vez na história”, afirma o comunicado publicado pelo Thistle For Ever nesta semana.

Formado no início do mês, o Thistle For Ever segue o exemplo de outros grupos de torcedores que possuem investimentos em seus clubes, com intercâmbio de ideias junto ao Nice e ao Barnsley. A entidade surgiu exatamente para tentar impedir as incertezas criadas diante do interesse da venda do clube ao tal consórcio estrangeiro. Há uma intenção em defender os torcedores em meio às negociações e, neste sentido, o dinheiro de Colin Weir se torna o melhor apoio possível. Além do milionário, existem outras ofertas de ajuda financeira em menor valor correndo dentro do projeto do TfE.

“Com nossa oferta totalmente financiada, nós garantimos que a atual diretoria tem uma opção que assegura o futuro do Partick Thistle nas próximas décadas”, declarou Paul Goodwin, líder do TfE, à BBC. “Será um clube sustentável, sem dívidas e nas mãos daqueles que o estimam mais do que qualquer outro, os torcedores. Devemos ser considerados como uma alternativa viável, diante do risco de transferir o controle do nosso clube a pessoas sem afinidade e sem entendimento do que é o Partick Thistle. Colin Weir é um torcedor de longa data que deseja nada além do melhor para o seu clube. Seu apoio incrivelmente generoso nos permite colocar essa oferta sobre a mesa”.

Goodwin aponta que o plano da Thistle For Ever é colocar o Partick Thistle entre os seis primeiros do Campeonato Escocês nas próximas cinco temporadas – algo que o clube só conseguiu alcançar duas vezes desde a década de 1980. Enquanto tudo não passa de uma briga de bastidores, o time sofre com as dificuldades e tenta escapar do rebaixamento à terceirona. Ao que parece, a grande esperança está mesmo no sonho de Colin Weir e dos demais torcedores.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo