Europa

Homenagem merecidíssima: Aberdeen inaugura uma estátua para celebrar Sir Alex Ferguson e seus feitos lendários no clube

Campeão da Recopa Europeia e dominante no Campeonato Escocês, Ferguson representa o período dourado do Aberdeen entre 1978 e 1986

Sir Alex Ferguson costuma ser tratado como um sinônimo de Manchester United, e não sem motivos. Porém, o que o treinador construiu em sua passagem à frente do Aberdeen também é singular ao futebol escocês. Os Dons viveram sua era de ouro com Fergie, quando conquistaram três títulos do Campeonato Escocês e quatro da Copa da Escócia, além de faturarem uma Recopa Europeia (em cima do Real Madrid) e uma Supercopa. Natural que o veterano recebesse uma estátua no Estádio Pittodrie. Dez anos depois da imagem em bronze inaugurada em Old Trafford, o Aberdeen revelou a sua escultura em homenagem à lenda.

A estátua de Ferguson apresenta o comandante em tempos joviais, quando dirigia o Aberdeen. O próprio comandante esteve presente no evento para revelar a escultura no Estádio Pittodrie. Participaram outros ídolos do clube que fizeram história com os Dons sob as ordens de Fergie, incluindo Willie Miller, Gordon Strachan e Neil Simpson. A imagem em bronze ficará na entrada do estádio, embora a cerimônia tenha ocorrido próxima do campo de jogo.

“O que consegui aqui foi quase um milagre e algumas pessoas consideram mesmo um milagre. Mas sabe de uma coisa? Nós fomos com tudo”, afirmou Ferguson. “A coisa sobre os seres humanos é que algumas pessoas querem ir à lua nas férias e outras pessoas são felizes em ir ao parque. Esses rapazes queriam ir à lua. Tinham o desejo de melhorar cada vez mais e isso me deu o incentivo para trabalhar com eles. Eles entenderam que outros clubes querem ganhar troféus, então você tem que querer mais que os outros. Você tem que ter mais desejo de sucesso, porque é isso que vai te levar até lá”.

Ferguson tinha 36 anos quando assumiu o Aberdeen, permanecendo oito temporadas à frente da equipe. A importância das conquistas é expressa, não apenas pelo raro período de dominância de um time fora da Old Firm na Escócia, mas também pelo sucesso nas competições europeias. No fim de seu trabalho, Fergie conciliou a direção da seleção escocesa após a morte de Jock Stein, disputando a Copa do Mundo de 1986. Sua saída dos Dons aconteceu em novembro de 1986, após o convite do Manchester United, para 26 anos inesquecíveis.

Sir Alex afirmou que a estátua é uma “honra fantástica”. Aos 80 anos, possui uma lista de honrarias imensa e também diversas homenagens mais que justas. Nada melhor que continue recebendo os aplausos em vida, ainda mais num lugar onde representa tanto.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo