Europa

Gales usará a dor de derrotas do passado para chegar à Copa pela primeira vez desde 1958, diz Bale

A seleção galesa enfrenta a Áustria nesta quinta-feira e, se vencer, encara Escócia ou Ucrânia por vaga no Mundial do Catar

Gareth Bale afirmou que a seleção galesa usará a dor de derrotas do passado para impulsioná-la à primeira Copa do Mundo do país desde 1958. Gales recebe a Áustria em Cardiff nesta quinta-feira e, quem vencer, joga contra Escócia ou Ucrânia por vaga no Mundial do Catar.

Principal nome de Gales na última década, Bale conseguiu ajudar a seleção a se classificar para duas Eurocopa seguidas, com direito a uma semifinal em 2016, mas a Copa do Mundo lhe escapou. Ele próprio tem decepções para tirar motivação, como a derrota em casa para a Irlanda do Norte na última rodada das Eliminatórias para a Rússia – vitória levaria Gales à repescagem.

“Temos que dar 100% e não ter arrependimentos. Podemos retirar das experiências passadas que nos machucaram, mas também da empolgação do que pode vir pela frente, então há muita coisa pelo que jogar. Você pode olhar para qualquer coisa para ajudar a ter inspiração e não há muito que precisa ser dito, um jogo dessa magnitude fala por si e estaremos prontos”, afirmou.

Bale disse que não se arrependeria de não ter levado Gales à Copa do Mundo, até porque não é algo que ele teve a liberdade de escolher, mas que seria um feito que ele gostaria de entregar aos torcedores. “Por mim, pelo meu país, pelos torcedores de Gales. Faz muito tempo. Será um arrependimento apenas se não dermos 100% e deixarmos algo sobrando no tanque. Se você fizer isso, não há arrependimentos, independente do resultado”, explicou.

“Espero que o nosso melhor seja suficiente. Pensar sobre o futuro pode causar dúvidas na sua própria cabeça, então não estou pensando nisso. Estou apenas focado neste jogo e o que acontecer no futuro eu decido meu futuro”, acrescentou.

Bale fez apenas dois jogos pelo Real Madrid desde a última vez que defendeu Gales, em novembro. No total, entrou em campo cinco vezes pelo clube espanhol nesta temporada e não disputou o clássico do último domingo. O jornal Marca criticou-o em uma manchete por estar “milagrosamente recuperado” para defender Gales nesta quinta-feira, após alegar dor nas costas.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo