Eurocopa

Sem muita inspiração, o empate pode custar caro para Irlanda e Suécia

Irlanda e Suécia certamente não saíram plenamente satisfeitas do Stade de France nesta segunda, após a estreia na Eurocopa. Em um grupo com outros dois adversários de peso (por mais que a Itália não impressione), o empate não é o melhor dos resultados, mesmo pensando em avançar como um dos melhores terceiros colocados. As duas equipes até tiveram os seus momentos, mas não foram além do 1 a 1. Coletivamente, a Irlanda fez uma partida melhor e até mereceu mais os três pontos. Pagou caro pelas oportunidades desperdiçadas. Enquanto isso, a Suécia orbitou ao redor de seu Rei Sol. Mas a tarde sem tanta inspiração de Zlatan Ibrahimovic pouco ajudou os escandinavos.

Jogando de maneira direta e confiando em seus dois homens da área, a Irlanda foi superior durante o primeiro tempo.  Podia não ter mais posse de bola, mas conseguia ser bem mais eficiente na defesa, encaixotando Ibrahimovic, e criava com perigo. Aos 17 minutos, O’Shea não abriu a contagem por centímetros. Além disso, os irlandeses conseguiam assustar bastante nos chutes de média distância. Em um deles, Hendrick chegou a carimbar o travessão. Além disso, o lateral Brady aparecia muito bem pela esquerda.

A insistência da Irlanda, enfim, foi premiada logo no início da segunda etapa. Em ótima jogada, Coleman avançou pela direita e cruzou para Hoolahan finalizar com precisão. Só então a Suécia acordou. E começou a buscar no talento de Ibra, apagado até então. A maioria das jogadas dependiam da lucidez do centroavante ou vinham em bolas aéreas. Assim, a sorte pesou para que o empate saísse, aos 26. Após boa troca de passes, coube ao capitão chegar à linha de fundo e cruzar. Clark acabou mandando contra as próprias redes. Já nos últimos 20 minutos, os irlandeses tiveram um pouco mais a bola e apostaram na entrada do artilheiro Robbie Keane. Nada suficiente para retomar a vantagem.

Em uma entressafra notável, na qual segue precisando de veteranos distantes de seu ápice, a Suécia parece não ter muito mais a apresentar. Confiando tanto em Ibrahimovic, vai ter que depender mesmo dos lampejos de seu craque – o que não será tão simples, como a forte marcação irlandesa evidenciou. Por outro lado, a Irlanda demonstrou mais futebol para complicar Itália e Bélgica. Será necessário, se a equipe quiser almejar mesmo os mata-matas. Diante dos suecos, podem considerar que desperdiçaram dois pontos.

Irlanda 1×1 Suécia

Irlanda: Randolph, Coleman, O’Shea, Clark e Brady; McCarthy (McGeady), Whelan e Hendrick; Hoolahan (Robbie Keane); Long e Walters (McClean). Técnico: Martin O’Neill.

Suécia: Isaksson, Johansson (Lustig), Lindelöf, Granqvist e Olsson; Larsson, Lewicki (Ekdal), Källström e Forsberg; Berg (Guidetti) e Ibrahimovic. Técnico: Erik Hamrén.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo