Eurocopa

Reino Unido e Irlanda serão candidatas únicas para receber a Eurocopa 2028

Após Itália e Turquia se unirem para fazerem candidatura conjunta para Eurocopa 2032, Reino Unido e Irlanda viram candidatos únicos e devem ser confirmados como sede

A Uefa confirmou na quarta-feira que a candidatura do Reino Unido e Irlanda é a única confirmada para sediar a Eurocopa 2028. Isso porque a Turquia, que era candidata para 2028, se uniu à Itália para disputar a sede da Eurocopa 2032. O fato deixa o caminho aberto para o Reino Unido e Irlanda, que já era a candidatura favorita para receber o torneio, pendente apenas de uma confirmação formal nos próximos dias.

Turquia e Itália chegaram a um acordo em julho para juntarem suas candidaturas para disputarem ser sede da Eurocopa 2032, onde também são candidatas únicas. A decisão foi sancionada pela Uefa e isso abriu caminho para que as duas candidaturas únicas sejam aprovadas. A entidade, porém, ressalta que ainda resta o devido processo, com as duas candidaturas apresentando à entidade suas propostas.

“A atribuição de ambos os torneios ainda requer aprovação do Comitê Executivo na reunião em Nyon no dia 10 de outubro”, diz a Uefa em comunicado. “As apresentações nessa reunião serão uma parte importante do processo em que serão levadas em consideração o conteúdo das propostas apresentadas antes de chegar a uma decisão”.

“Celebração apaixonada e inesquecível”

A Football Association of Ireland (FAI) se mostrou muito confiante na sua própria candidatura, em comunicado divulgado mais cedo, quando foi apresentada formalmente à Uefa. “Estamos ansiosos para apresentar nossa proposta para a Uefa em 10 de outubro. São tempos empolgantes e temos uma proposta muito convincente para a Eurocopa 2028 para a Uefa”.

“Nossa candidatura é inovadora para a Eurocopa Masculina e entregará legados duradouros em toda a Irlanda e no Reino Unido. Partilharemos todos os detalhes da candidatura em Nyon na próxima semana e estamos confiantes de que a Uefa aprovará a nossa candidatura para receber a Eurocopa 2028”, diz o comunicado.

Em abril, a candidatura do Reino Unido e Irlanda apresentou a sua proposta com 10 estádios, mas sem Anfield e Old Trafford. Os estádios escolhidos foram Hampden Park, em Glasgow, Principality Stadium, em Cardiff, Aviva Stadium, em Dublin, Wembley, em Londres, Tottenham Hotspur Stadium, também em Londres, Etihad Stadium, em Manchester, Everton Stadium, ainda em construção em Liverpool, St. James' Park, em Newcastle, Villa Park, em Birmingham, e Casement Park, em Belfast.

A candidatura do Reino Unido e Irlanda recebeu apoio do Primeiro-Ministro do Reino Unido, Rushi Sunak, do Primeiro-Ministro da Irlanda, Leo Varadkar, o Primeiro-Ministro da Escócia, Humza Yousaf, e do Primeiro-Ministro de Gales, Mark Drakeford.

Ao apresentarem sua candidatura conjunto, o Reino Unido e Irlanda divulgaram um comunicado. “Juntas, nossas noções irão sediar uma Eurocopa 2028 fora de série. Será o maior evento esportivo que as nossas ilhas já receberam juntas”.

“Uma celebração apaixonada e inesquecível, com benefícios de longo prazo para nossas cidades e comunidades, assim como para o futebol europeu. Nossa única e sem precedentes Eurocopa 2028 irá dar boas-vindas ao mundo a destinos icônicos e, acima de tudo, fazer as pessoas ficarem juntas”, diz o texto.

Turquia e Itália juntas pela Eurocopa 2032: “Raízes históricas”

A mudança da candidatura da Turquia, inicialmente para 2028, deixou, por um lado, a candidatura do Reino Unido e Irlanda como única para 2028, ao mesmo tempo que criou uma candidatura única para 2032 ao se unir à Itália. As duas ficam próximas de uma confirmação. A Turquia foi uma candidata constante a sediar as últimas Eurocopas e agora está mais próxima do que nunca de acontecer.

Itália e Turquia não fazem fronteira por terra, mas ambos estão na costa do Mar Mediterrâneo. A Itália já sediou a Eurocopa em 1968 e em 1980. O Estádio Olímpico de Roma também foi uma das sedes da Eurocopa 2020 (disputada em 2021, devido àUEF pandemia da Covid-19). 

“Estamos diante de um ponto de virada que tem como objetivo a melhoria do futebol continental”, disse Gabriele Gravina, o presidente da FIGC, a Federazione Italiana Giuoco Calcio, a Federação de Futebol do país, em julho. 

“O projeto, além de juntar duas realidades consolidadas no cenário do futebol europeu ainda mais próximas, reforça os valores da amizade e da cooperação, envolvendo dois mundos caracterizados por profundas raízes históricas, duas culturas que, ao longo dos milênios, contaminaram uma à outra, e influenciaram substancialmente a história da Europa Mediterrânea. O futebol quer ser uma ponte ideal para compartilhar paixões e emoções relacionadas ao esporte”, continuou Gravina.

A Rússia chegou a dizer que gostaria de ser candidata a receber a Eurocopa 2028 e 2032, mas isso antes de invadir a Ucrânia e criar uma guerra entre os dois países. Diante do cenário após a invasão, o país desistiu da candidatura. A Uefa afirmou que a candidatura seria inelegível, de qualquer forma. Vale lembrar que a Rússia ainda sofre diversas restrições no futebol, inclusive na participação de competições europeias.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo