Eurocopa

Os reservas da Itália sustentaram os 100% de aproveitamento e, mesmo derrotado, Gales passou em segundo

Roberto Mancini poupou seus titulares e ainda assim a Itália provou sua superioridade para emendar a terceira vitória

A Itália poupou forças na terceira rodada e, mesmo assim, fechou o Grupo A da Euro 2020 com 100% de aproveitamento. Roberto Mancini realizou uma série de alterações na equipe titular e ainda viu os azzurri manterem a superioridade diante de Gales no Estádio Olímpico de Roma. Os galeses pareciam mais preocupados em não tomar uma goleada, que poderia colocar em xeque a classificação, e mantiveram o segundo lugar mesmo com a derrota. No fim das contas, o triunfo por 1 a 0 bastou para a Azzurra chegar aos nove pontos e confirmar a liderança de maneira incontestável. Gales, com quatro pontos, terminou à frente da Suíça no saldo de gols e estará novamente nos mata-matas.

As formações

Itália mudou bastante a equipe para o duelo com Gales. Eram oito mudanças em relação às partidas anteriores, com Gianluigi Donnarumma, Leonardo Bonucci e Jorginho mantidos. Rafael Tolói era uma das novidades na defesa, aberto na lateral direita, enquanto Alessandro Bastoni ganhava uma chance após a ótima temporada na Internazionale. No meio, a grande notícia ficava por conta do retorno de Marco Verratti, se recuperando de lesão e cotado para ser titular nos mata-matas. Já na frente, Federico Chiesa, Federico Bernardeschi e Andrea Belotti se combinavam. Jogando a classificação, Gales também entrou com uma série de novidades. Ethan Ampadu e Chris Gunter ajudavam numa linha de três na zaga com Joe Rodon. Neco Williams era a aposta na ala esquerda. Já na frente, sem Kieffer Moore, havia mais liberdade para Gareth Bale, Aaron Ramsey e Daniel James num 3-4-3.

Começo de jogo morno

Mesmo com a classificação definida, a Itália dominava os primeiros minutos de jogo. Apostava nos cruzamentos, mas sem conseguir uma conexão. A primeira finalização seria de Emerson Palmieri, num chute de longe que o goleiro Danny Ward segurou. Depois, seria a vez de Tolói chutar com desvio e o goleiro também pegar. Enquanto isso, Gales travava muito bem a entrada de sua área, com os alas recuando e formando uma linha de cinco. Os galeses pareciam mais interessados em assegurar o empate. Adiantavam a marcação quando os italianos trabalhavam os passes no campo de defesa, mas recuavam quando os adversários avançavam.

Alguma trocação

Gales tentou sair um pouco mais por volta dos 20 minutos. Ainda assim, a Itália conseguia ser mais perigosa. Aos 25, uma bola roubada no campo de ataque permitiu um lance de perigo. Belotti recebeu no lado direito da área e chutou cruzado. A bola atravessou a pequena área, sem que Federico Chiesa conseguisse completar. A resposta de Gales viria pouco depois, numa cobrança de escanteio. Gunter se antecipou e acertou a rede pelo lado de fora, assustando Donnarumma. O jogo parecia mais aberto e a Azzurra teria mais um lance com Chiesa, em batida fechada que desviou em Ampadu na pequena área.

Pessina abre o placar

Depois dos 30, as ações voltaram a ser mais ditadas pela Itália, que se impunha no campo ofensivo. Se não era uma atuação contundente como as anteriores, a superioridade era clara e rendeu o primeiro gol aos 39. Numa cobrança de falta pelo lado direito da área, Verratti bateu a meia altura. Matteo Pessina se antecipou no primeiro pau e deu um sutil desvio para tirar do alcance do goleiro Danny Ward. Prêmio ao meio-campista, que vem em alta com a Atalanta. Pessina quase fez o segundo três minutos depois, mas não conseguiu pegar em cheio na bola. Gales se adiantou nos minutos anteriores ao intervalo, mas sem conseguir muito.

Itália acerta a trave, Ampadu é expulso

A Itália poupou Leonardo Bonucci para o segundo tempo, com Francesco Acerbi entrando na zaga. O segundo tempo viu Gales ficar um pouco mais com a bola, mas sem levar tanto perigo. Aos oito minutos, quando a Itália respondeu, quase ampliou. Bernardeschi cobrou uma falta frontal e buscou o canto do goleiro. Carimbou o pé da trave. Gales teria uma ótima oportunidade no minuto seguinte, quando Ramsey escapou pela direita e se enroscou na bola, parando diante de Donnarumma até ser desarmado. E a situação dos galeses pioraria na sequência, quando Ampadu deu um pisão em Bernardeschi e recebeu o vermelho direto aos dez. Foi uma decisão rigorosa da arbitragem, mas sem revisão do VAR.

Itália domina sem grandes emoções

O jogo caiu de ritmo na sequência, com a Itália podendo trabalhar os passes no campo de ataque sem muita pressa. Gales saía pouco ao ataque, numa preocupação que era de não tomar mais gols, pensando na situação dentro do grupo. Kieffer Moore até entrou no lugar de Joe Morrell, sem grandes efeitos. Aos 20, o goleiro Ward voltaria a trabalhar. Chiesa puxou pela direita e rolou para Belotti, mas o arqueiro desviou com a perna. A Azzurra rondava e chegava a entrar na área, mas via a marcação vermelha crescer à sua frente. Já aos 30, os dois times mexeriam. Harry Wilson veio no lugar de Daniel James em Gales. Já na Itália, Giacomo Raspadori e Bryan Cristante ganharam chances, nos lugares de Jorginho e Federico Bernardeschi.

Um festival de alterações no fim

Gales teria sua primeira finalização no segundo tempo aos 30. Numa cobrança de falta, Rodon ajeitou de cabeça e encontrou Bale livre no meio da área. O capitão tinha totais condições e emendou a chicotada de primeira, mas pegou mal na bola e isolou por cima do travessão. Foi apenas uma exceção, numa partida que seguia no controle da Itália. Chiesa era quem mais tentava, mas a marcação dobrava e travava seus passes. Os minutos finais seriam um festival de trocas. Dylan Levitt, Ben Davies e David Brooks entraram em Gales, com Bale entre aqueles que deixaram o campo. Já a Italia botou Gaetano Castrovilli e até deu um gosto para Salvatore Sirigu ficar no gol. Todavia, não haveria tanta intensidade. O melhor lance ocorreu nos acréscimos, mas Ward desviou com a ponta dos dedos o chute mascado de Cristante. Ficaria nisso.

Como fica a situação no Grupo A

A Itália fecha o Grupo A com nove pontos, numa campanha impecável sob as ordens de Roberto Mancini. Gales ainda manteve a segunda colocação com quatro pontos e avançou graças ao saldo de gols superior ao da Suíça. Os italianos pegarão o segundo colocado do Grupo C nas oitavas e enquanto os galeses encararão o segundo colocado do Grupo B. A Suíça ainda pode passar entre os melhores terceiros colocados com seus quatro pontos. A Turquia, por fim, fechou como grande decepção do torneio e se despede sem ponto algum.

Ficha técnica

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo