Eurocopa

Lukaku revela que jogadores de Dinamarca e Bélgica farão homenagem a Eriksen durante o jogo desta quinta

As duas equipes botarão a bola para fora no minuto 10, para que o estádio todo aplauda o camisa 10

Romelu Lukaku fez a grande declaração de amor desta Eurocopa. Depois de marcar o primeiro gol contra a Rússia no final de semana, o centroavante correu direto às câmeras e gritou um sonoro “Chris, eu te amo”. O recado era claro, numa mensagem a Christian Eriksen, depois da parada cardíaca sofrida pelo meia e do alívio diante da notícia de sua recuperação. Mais do que um colega de profissão ou que um companheiro de clube, Eriksen também é um dos grandes amigos de Lukaku. E o belga demonstra um pouco mais o tamanho de seu coração: ele revelou que os jogadores farão uma homenagem ao dinamarquês durante a partida entre Dinamarca x Bélgica nesta quinta-feira, em Copenhague.

Segundo Lukaku, o jogo será paralisado aos dez minutos, uma referência ao número da camisa de Eriksen. Os atletas de Dinamarca e Bélgica dedicarão um minuto de aplausos ao meia, em ação que deverá contar com o apoio massivo da torcida. O gesto se torna mais significativo por acontecer no Estádio Parken, casa da seleção dinamarquesa e local onde o armador sofreu seu colapso.

“No minuto 10, vamos colocar a bola para fora e aplaudir, para que todo o estádio nos acompanhe”, declarou Lukaku, durante a entrevista coletiva nesta quarta. O centroavante ainda revelou que, nesta semana, pediu para deixar a bolha do elenco da Bélgica para visitar Eriksen no hospital. O atacante conversou com Roberto Martínez, mas ainda não recebeu a permissão das autoridades sanitárias: “Falei com o técnico sobre essa possibilidade, ainda estou esperando a autorização, mas quero muito vê-lo”.

Depois da partida de sábado, Lukaku tinha comentado como possui uma amizade forte com Eriksen na Internazionale: “Foi muito difícil me recompor. Na verdade, é a primeira vez que passo por isso como jogador de futebol, com um companheiro da minha equipe atual. Como disse em campo, eu fico mais tempo com Christian do que com minha própria família, pra mim foi muito difícil. Chorei, porque estava pensando na sua família, nos filhos, na esposa, nos pais, na irmã e também na minha equipe”.

O centroavante fez questão de agradecer aos companheiros de seleção belga, que o ajudaram a superar o baque e a entrar em campo contra a Rússia “Chris e eu passamos muito tempo juntos, ganhamos o título juntos, então vê-lo caindo daquela forma, enquanto representava a seleção e jogava no seu país, foi bem complicado. Mesmo para me concentrar foi complicado, mas meus companheiros me ajudaram e sou grato a eles. Meus pensamentos estão com Christian e sua família”.

Agora, é esperar o reencontro entre amigos. Antes disso, a homenagem em Copenhague certamente aumentará a consideração e o carinho entre dois gigantes do futebol.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo