EspanhaEurocopaFrança

Laporte consegue nacionalidade e jogará Eurocopa pela Espanha

Ex-jogador do Athletic Bilbao, Laporte defendeu a seleção francesa na base e chegou a ser convocado para amistosos, mas nunca competições oficiais

O zagueiro Aymeric Laporte está perto de jogar a Eurocopa, mas não pela França, seleção que defendeu por toda a carreira. A pedido do técnico Luis Enrique, foi feito o processo burocrático para que o jogador do Manchester City possa defender as cores da Espanha. Com o passaporte espanhol autorizado, ele está elegível para ser convocado para a seleção espanhola. Ele deve estar na lista que disputará o torneio, adiado de 2020 para 2021 devido à pandemia de COVID-19.

Aos 26 anos, o ex-jogador do Athletic Bilbao nasceu em Agen, na França, mas tem ascendência basca, o que o permitiu defender as cores do clube basco. Chegou ao Athletic Bilbao aos 16 anos, ainda nas categorias de base, e fez todo o processo de profissionalização por lá, até chegar ao time principal em 2012. Jogou por lá até 2018, quando foi contratado pelo Manchester City por € 65 milhões, valor da cláusula de rescisão. Foi o maior valor recebido pelo clube basco em sua história.

Em termos de seleção, joga pela França na base desde 2011, quando defendeu o time sub-17. Jogou por todas as categorias menores, até a sub-21, que defendeu até 2016. A ideia de jogar pela Espanha não é nova, nem dele, nem da Federação Espanhola. Em agosto de 2016, o técnico da seleção espanhola na época, Julen Lopetegui iniciou o processo de nacionalização. Isso acabou sendo abandonado depois que Deschamps decidiu convocá-lo para os jogos das Eliminatórias da Copa, mas ele sequer entrou em campo em qualquer dos dois jogos.

Laporte ficou fora da convocação de Deschamps para a seleção francesa que foi à Copa 2018 e acabou campeã na Rússia. Ele não escondeu a sua insatisfação, em uma entrevista em julho daquele ano: “Tive ciúme, para ser honesto. As decisões foram tomadas, você tem de aceitá-las, é assim que as coisas são no futebol. Não fiquei surpreso ao não ser chamado. Não estive na primeira convocação, já feita sem mim. Mas ainda foi um desapontamento não ser chamado”.

Em 2019, novamente Deschmaps o convocou para a seleção, para as Eliminatórias da Eurocopa. Aconteceu o mesmo: Laporte sequer saiu do banco e não jogou um minuto sequer pelos Bleus. Como nunca defendeu a seleção francesa em uma competição oficial, Laporte pode defender outra seleção.

Sem ser convocado há mais de um ano, o processo foi reiniciado e Laporte recebeu o passaporte espanhol que já tinha direito pelos anos jogando pelo Bilbao. Assim, deve ser convocado por Luis Enrique para defender a Roja na Eurocopa e vai brigar por uma vaga no time titular.

Com 1,91 metro, canhoto e muito técnico, Laporte deve ter como concorrentes da posição o zagueiro Sérgio Ramos, que tem sofrido com lesões nesta temporada, Pau Torres, do Villarreal, um dos mais promissores da sua posição, Iñigo Martínez, do Athletic Bilbao, e Eric Garcia, companheiro de Laporte no City e que raramente joga. Diego Llorente, do Leeds, é uma opção, mas suas lesões no clube inglês têm atrapalhado sua continuidade. Nenhum deles conseguiu se estabelecer ao lado de Sergio Ramos e é nisso que Laporte e, aparentemente, Luis Enrique apostam.

Laporte atualmente é reserva no Manchester City, mas tem jogado com alguma frequência pelas muitas lesões no setor. Nesta temporada, são 27 jogos e dois gols marcados. Um deles decisivo: fez o gol do título da Copa da Liga na final contra o Tottenham. Com a iminente convocação para a Espanha, Laporte espera que possa, enfim, disputar uma grande competição de seleções.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo