Eurocopa

Guia da Euro 2020: Portugal

O atual campeão chega com um elenco ainda mais qualificado para tentar defender seu título

Este texto faz parte do Guia da Euro 2020.

Como foi o ciclo desde a Copa de 2018

Líder de sua chave na Liga das Nações 2018/19 com duas vitórias e dois empates em quatro jogos, Portugal deixou Itália pelo caminho na fase de grupos, passou pela Suíça na semifinal e levou para casa a primeira edição da competição ao derrotar a Holanda na decisão.

Nas eliminatórias da Eurocopa 2020, começou com dois tropeços contra Ucrânia e Sérvia, teve uma reação com goleadas sobre os adversários mais fracos do Grupo B, Luxemburgo e Lituânia, mas não conseguiu a liderança da chave, perdendo seu segundo encontro contra a Ucrânia e acabando no segundo lugar.

Artigos relacionados

Em março deste ano, dando início às eliminatórias europeias da Copa do Mundo de 2022, a equipe de Fernando Santos não convenceu. Bateu o fraco Azerbaijão por apenas 1 a 0, empatou em 2 a 2 com a Sérvia depois de sair vencendo por 2 a 0 e não teve brilho no 3 a 1 contra Luxemburgo.

Como joga

Assim como a França, apesar de todo o talento que tem à disposição, o técnico Fernando Santos é bastante cauteloso e, sobretudo contra equipes mais fortes, adota uma mentalidade bastante centrada na segurança defensiva. O time costuma atuar em um 4-3-3, com Danilo Pereira como o típico volante destruidor, William Carvalho lhe oferecendo suporte, e Bruno Fernandes mais livre para atacar, atuando como um 8 ou 10 e ocupando os espaços entre as linhas defensivas, atrás da referência, para criar oportunidades. Bernardo Silva costuma ocupar a ponta direita, caindo bastante pelo meio para usar sua perna canhota, enquanto o ponta pela esquerda, normalmente João Félix ou Diogo Jota, alterna posicionamento com Cristiano Ronaldo como referência no ataque.

Com uma profundidade de elenco de dar inveja, as peças podem mudar, com Renato Sanches, Sérgio Oliveira, Rúben Neves, Nuno Mendes e Rafa Silva como alguns dos nomes que podem também conquistar seu espaço. A formação, no entanto, costuma ser fixa. Na defesa, o goleiro Rui Patrício, os laterais Cancelo e Raphaël Guerreiro e o zagueiro Rúben Dias devem ser nomes certos, com José Fonte e Pepe disputando a vaga final na equipe titular.

O craque

Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo, de Portugal (Imago/OneFootball)

Aos 36 anos, Cristiano Ronaldo naturalmente não é mais o mesmo de seus melhores anos – e ainda assim vem de uma temporada com 36 gols e quatro assistências em 44 jogos pela Juventus. Seu status de grande craque da seleção portuguesa é mantido mesmo em meio ao crescimento de diferentes figuras no elenco capazes de distribuir talento e responsabilidades na busca por mais uma Eurocopa, como Bernardo Silva, Bruno Fernandes, Diogo Jota e João Félix.

Referência técnica, mental e ponto focal desta equipe, é em torno dele que o jogo ofensivo português irá girar, e sua capacidade de decidir grandes jogos sempre o acompanhará. Com 174 jogos e 103 gols pela seleção, Ronaldo é recordista em ambos os quesitos pela equipe e está a apenas seis gols de igualar Ali Daei, ex-jogador da seleção iraniana, como maior artilheiro da história do futebol de seleções.

Bom coadjuvante

Bruno Fernandes

Bruno Fernandes, de Portugal (Foto: Imago / One Football)

Depois de uma primeira parte de carreira discreta na Itália, Bruno Fernandes voltou para Portugal, onde teve três anos de crescimento e protagonismo pelo Sporting. Sua ascensão lhe possibilitou uma transferência para o Manchester United no início de 2020, e desde então o meio-campista explodiu para o futebol europeu. Na temporada 2020/21, entre atletas das cinco grandes ligas europeias, Bruno Fernandes foi o sexto jogador com maior número de participações diretas em gols (45). Foram 28 marcados e 17 assistências em 58 jogos. Com estes dados, ficou atrás apenas de Robert Lewandowski (56), Kylian Mbappé (53), Erling Haaland (53), Lionel Messi (52) e Harry Kane (50).

Protagonista no Manchester United, Fernandes é apenas um coadjuvante na seleção portuguesa, ofuscado evidentemente por Cristiano Ronaldo. Por outro lado, com tanto talento ao seu redor, pode encontrar mais espaços para fazer a diferença, embora o estilo de jogo mais defensivo do técnico Fernando Santos coloque um freio natural em suas habilidades.

A promessa

João Félix

João Félix entra no lugar de Cristiano Ronaldo (Octavio Passos/Getty Images)

Embora tenha se transferido há dois anos para o Atlético de Madrid por um valor elevadíssimo de € 127 milhões, João Félix, com exceção de alguns momentos aqui e ali, ainda não decolou da maneira como se esperava – e, com apenas 21 anos, isso é completamente natural. Seu impacto na seleção portuguesa, na qual estreou em junho de 2019, tampouco foi sentido até aqui, e esta Eurocopa é uma boa oportunidade para o garoto começar a mostrar a que veio.

O potencial é enorme e está ali, e em uma equipe cada vez mais madura, sólida e com tantas referências técnicas e lideranças, João Félix pode aproveitar a responsabilidade compartilhada para jogar sem tanto peso sobre os ombros e conseguir mostrar o seu melhor futebol. Visto como herdeiro técnico de Cristiano Ronaldo em Portugal, ainda lhe falta um longo caminho para confirmar as previsões. Um bom desempenho em sua primeira grande competição pela seleção portuguesa pode ser um excelente ponto de partida.

O veterano

Pepe

Pepe, de Portugal (Foto: Gerardo Santos/Imago/One Football)

Aos 38 anos, Pepe se prepara para a disputa da Euro ainda em alta, ao fim de uma temporada boa com o Porto, em que impressionou sobretudo na Champions League, como um dos destaques do time que eliminou a Juventus nas oitavas de final. Multicampeão por Porto e Real Madrid, com três títulos portugueses, três espanhóis e três Champions League, entre outras honrarias, Pepe estendeu seu currículo com conquistas também por Portugal, levantando a Euro 2016 e a Liga das Nações de 2018/19. Com sua participação contínua mesmo em estágio avançado na carreira, se elevou à condição de quarto jogador com maior número de jogos na seleção portuguesa, atrás apenas de Cristiano Ronaldo, João Moutinho e Figo, e é um dos líderes incontestes da equipe.

Técnico

Fernando Santos

Fernando Santos é levantado pelos jogadores (AP Photo/Martin Meissner)

Enquanto técnico de clubes, Fernando Santos teve uma longa carreira, iniciada em 1987, no Estoril, até seu último trabalho em 2010, no PAOK. No período, teve uma sala de troféus relativamente pequena, com a conquista do Campeonato Português pelo Porto em 1998/99, duas Taças de Portugal com os Dragões em 1999/00 e 2000/01 e uma Copa da Grécia com o AEK, em 2001/02.

Foi sua ligação com a Grécia, aliás, que abriu caminho para que mais tarde chegasse ao comando da seleção portuguesa. Entre 2001 e 2010, passou cinco temporadas no futebol grego, dirigindo os grandes AEK, Panathinaikos e PAOK, e em 2010 assumiu o comando da seleção grega. Lá, se destacou, levando o conjunto grego às quartas de final da Euro 2012 e às oitavas da Copa do Mundo de 2014. Por fim, após o Mundial no Brasil, assumiu a seleção portuguesa.

Desde então, tem passado longe de ser um nome unânime. A impressão geral é de que o seu estilo de jogo defensivo e conservador é um desperdício sobretudo da atual grande geração de jogadores. Entretanto, seu jogo pragmático dá resultados, como as conquistas recentes não deixam mentir. Com isso, tem confiança suficiente para permanecer à frente do barco, mas será cobrado por um futebol minimamente mais vistoso nesta Euro.

Retrospecto na Eurocopa

Participações: sete (1984, 1996, 2000, 2004, 2008, 2012 e 2016)
Melhor campanha: campeão (2016)

Portugal tem um histórico tímido na Copa do Mundo, mas é uma força na Eurocopa. Em sete participações, nunca parou antes das quartas de final. Chegou entre os quatro primeiros três vezes, foi vice-campeão com Luiz Felipe Scolari, em casa, e, enfim, conquistou o seu título na França em 2016.

O elenco

Pos jogador idade jogos gols Clube
1 G Rui Patrício 33 anos 93 0 England Wolverhampton
2 D Nélson Semedo 27 anos 18 0 England Wolverhampton
3 D Pepe 38 anos 115 7 Portugal Porto
4 D Rúben Dias 24 anos 28 2 England Manchester City
5 D Raphaël Guerreiro 27 anos 46 2 Germany Borussia Dortmund
6 D José Fonte 37 anos 46 0 France Lille
7 A Cristiano Ronaldo (capitão) 36 anos 175 104 Italy Juventus
8 M João Moutinho 34 anos 131 7 England Wolverhampton
9 A André Silva 25 anos 39 16 Germany Eintracht Frankfurt
10 M Bernardo Silva 26 anos 55 7 England Manchester City
11 M Bruno Fernandes 26 anos 29 4 England Manchester United
12 G Anthony Lopes 30 anos 13 0 France Lyon
13 M Danilo Pereira 29 anos 47 2 France Paris Saint-Germain
14 M William Carvalho 29 anos 66 4 Spain Real Betis
15 A Rafa Silva 28 anos 21 0 Portugal Benfica
16 M Renato Sanches 23 anos 26 2 France Lille
17 M Gonçalo Guedes 24 anos 23 6 Spain Valencia
18 M Rúben Neves 24 anos 21 0 England Wolverhampton
19 M Pedro Gonçalves 22 anos 2 0 Portugal Sporting CP
20 D João Cancelo 27 anos 27 5 England Manchester City
21 A Diogo Jota 24 anos 14 6 England Liverpool
22 G Rui Silva 27 anos 1 0 Spain Granada
23 A João Félix 21 anos 17 3 Spain Atlético Madrid
24 M Sérgio Oliveira 29 anos 11 0 Portugal Porto
25 D Nuno Mendes 18 anos 5 0 Portugal Sporting CP
26 M João Palhinha 25 anos 4 1 Portugal Sporting CP

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Veja também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!