Eurocopa 2024

Diante de Portugal, Kvaratskhelia realiza sonho pessoal e faz história com a Geórgia

Atacante marca em vitória sobre os portugueses e comanda classificação histórica dos georgianos na Euro

A noite do dia 26 de junho de 2024 ficará guardada para sempre na memória de Khvicha Kvaratskhelia. O craque da Geórgia realizou sonho de criança e fez história com sua seleção.

Este foi o depoimento de Kvara na coletiva de imprensa antes de Geórgia x Portugal, pela 3ª rodada do Grupo F da Eurocopa 2024:

— Não estou ansioso, mas isso é uma coisa com que venho a sonhar, jogar contra Cristiano Ronaldo. Ele não joga mais na Europa, mas está no nosso grupo da Euro, e às vezes os sonhos se tornam realidade.

Pois bem, o camisa 7 da Geórgia não só jogou contra o ídolo, bem como ajudou a classificar seu país às oitavas de final da Euro — algo até então inédito na história da seleção.

Falando em Cristiano Ronaldo, o astro português reencontrou 11 meninos georgianos que apadrinhou em 2013. Quando defendia Real Madrid, ele foi convidado para inauguração do CT da base do Dinamo Tbilisi, clube que revelou Kvaratskhelia e o goleiro Mamardashvili — dois dos principais destaques da seleção da Geórgia.

Zuriko Davitashvili, Giorgi Chakvetadze e Anzor Mekvabishvili são alguns dos outros nomes que estiveram presentes no evento em 2013 e entraram em campo nesta quarta-feira (26).

Primeira vitória na Euro e classificação histórica

Com gols de Kvara e Mikautadze, os georgianos bateram Portugal por 2 a 0, na Veltins-Arena, assumiram a vice-liderança do Grupo F e asseguraram vaga no mata-mata. O adversário das oitavas será a Espanha — única seleção com 100% de aproveitamento nessa Euro.

O resultado é histórico para a Geórgia. Única estreante na Euro 2024, a seleção de Kvaratskhelia e companhia representa um país de 3,7 milhões de habitantes, situado entre a Europa e a Ásia, cercado por montanhas e às margens do Mar Negro.

A presença dos georgianos para a Euro 2024 é fruto de um longo processo de desenvolvimento do futebol local. A classificação às oitavas de final reforça o bom trabalho desempenhado por executivos, treinadores e olheiros.

Erro de António Silva origina gol relâmpago de Kvaratskhelia

A Geórgia precisou de menos de dois minutos para castigar Portugal e abrir o placar em Gelsenkirchen. António Silva errou passe no campo de defesa e entregou nos pés de Mikautadze, que arrancou em velocidade e acionou Kvaratskhelia no lado esquerdo. O camisa 7 invadiu a área e finalizou cruzado, na saída de Diogo Costa.

Mesmo com a derrota parcial, a liderança do Grupo F estava garantida para Portugal. Ainda assim, Cristiano Ronaldo e companhia não abriam mão da vitória. Terminar a primeira fase da Euro com 100% de aproveitamento era o objetivo da seleção lusitana.

Os portugueses então adiantaram as linhas, aumentaram o volume ofensivo e passaram a sufocar o adversário. Cristiano Ronaldo, de falta, soltou um petardo do meio da rua e parou em boa defesa de Mamardashvili.

O gol de Kvaratskhelia condicionou ainda mais a configuração da partida. Enquanto Portugal agredia incessantemente em busca do empate, a Geórgia, por sua vez, se fechou. Com intuito de surpreender nos contra-ataques e ampliar a vantagem, o time georgiano encurtou os espaços e jogou no erro dos lusitanos.

Não foi por falta de tentativa que Portugal não empatou o jogo ainda no 1º tempo. Francisco Conceição acertou a rede pelo lado de fora. Já João Félix tirou tinta da trave. CR7, por sua vez, acabou travado Gvelesiani. Apesar do ‘bombardeio’, o 1 a 0 se manteve.

A comemoração de Kvaratskhelia ao abrir o placar na Veltins-Arena (Foto: Icon Sport)

De pênalti, Mikautadze sela classificação georgiana

A pegada do 2º tempo seguiu a mesma, com Portugal dominando as ações ofensivas e a Geórgia jogando por uma bola. E foi exatamente assim que os georgianos ampliaram a vantagem.

António Silva derrubou Lochoshvili na área e, após revisão do VAR, o árbitro marcou o pênalti. Mikautadze cobrou no cantinho e balançou as redes.

O time português sentiu o segundo tento. Roberto Martínez, técnico da seleção lusitana, decidiu preservar Cristiano Ronaldo e substituiu o craque aos 20 minutos. Gonçalo Ramos e Semedo entraram, mas pouco fizeram.

Portugal fez um bom 1º tempo, porém, deixou a desejar na etapa complementar. O sistema defensivo é um ponto de atenção para Martínez, assim como o aproveitamento nas finalizações — faltou contundência no terço final de campo.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo