Eurocopa

Escócia se esforça na estreia em casa, mas tchecos vencem com dois de Schick, um deles um golaço

Apesar da atuação voluntariosa dos escoceses, tchecos venceram por 2 a 0 aproveitando as chances que tiveram

A volta da Escócia às grandes competições não foi como os torcedores esperavam. Em pleno Hampden Park, os escoceses perderam da Tchéquia por 2 a 0, com dois gols de Patrick Schick. O placar favorável aos tchecos não conta toda a história do jogo, já que os escoceses dominaram a maior parte da partida, mas não conseguiram transformar em gols e acabaram sofrendo dois.

LEIA MAIS: Guia da Euro 2020

Foi a Escócia que tomou a iniciativa. Jogando em casa, os escoceses buscavam mais o gol. O time chegava especialmente pelo lado esquerdo, onde o seu capital e principal jogador, Andy Robertson, era sempre uma opção criativa e interessante. O time escocês foi voluntarioso e encontrou um adversário que decidiu se defender fortemente e buscar as saídas em contra-ataques e bolas aéreas.

Os números e estatísticas nem sempre dizem que o que foi o jogo, mas um deles ajuda a explicar: os escoceses chutaram mais, seis, mas só acertou um desses no alvo. A Tchéquia chutou menos, quatro, mas acertou duas vezes no alvo. Justamente os dois gols.

Os escoceses ficaram um pouco mais com a bola, estiveram mais tempo no campo de ataque, mas não conseguiram traduzir a presença ofensiva em gols. O time errou nos momentos mais importantes, de definição. Sai com uma derrota que complica um pouco a situação do Exército Tartan, como os torcedores da seleção escocesa são chamados.

Escócia leva perigo, mas Schick marca

Aos 31 minutos, a Escócia levou muito perigo. Em uma boa jogada trabalhada, o time inverteu para o lado esquerdo onde Andy Robertson entrou livre, mas chutou em cima do goleiro, que jogou para escanteio. A Escócia era melhor no jogo, era quem chegava mais, ainda que as finalizações não levassem tanto perigo.

A Tchéquia cobrou escanteio, que não rendeu nada, mas gerou outro lance de ataque. Em jogada trabalhada, Coufal recebeu na direita, cruzou pelo alto e Patrick Schick tocou de cabeça, no canto, e marcou: 1 a 0 para os tchecos.

Pressão da Escócia no começo do segundo tempo

No segundo tempo, a Escócia já voltou com uma mudança: Che Adams no lugar de Ryan Cristie. E rapidamente, a Escócia chegou com perigo. Em jogada pela esquerda, cruzamento de Robertson, a bola foi ajeitada para Jack Hendry, que chutou no travessão.

Logo depois, em uma boa enfiada de bola de Robertson, a defesa da Tchéquia tentou o corte e quase pegou o goleiro Tomas Vaclik desprevenido. O goleiro tcheco conseguiu voltar e espalmar a bola, impedindo o gol contra. Foram cinco minutos muito bons da Escócia, de pressão e quase chegar ao gol duas vezes.

Golaço da Tchéquia

Foi preciso só um ataque da Escócia. E nem foi um ataque trabalhado. Depois de bloquear um passe, a bola sobrou mais à frente. Schick percebeu o goleiro David Marshall adiantado e, da risca do meio-campo, bateu por cima do goleiro, que voltou desesperado. Não teve o que fazer, o chute foi perfeito: 2 a 0. Eram sete minutos do segundo tempo.

Logo depois do gol, a Tchéquia aproveitou e quase chegou ao segundo gol. Nova bola acionada a Schick, que tentou o passe, foi curto, mas a bola sobrou para Darida, que bateu colocado, mas errou o alvo e a bola foi fora. Os tchecos arrancaram o gol no momento que a Escócia pressionava.

Escócia volta ao ataque

Em um ataque rápido pelo meio, Stuart Armstrong carregou a bola até a entrada da área, tinha opção pela direita e, diante da indecisão da defesa, ele chutou no gol. A bola desviou e caiu na rede superior, assustando. Com 20 minutos, a Escócia chegou com perigo com a bola que sobrou para Lyndon Dykes, após desvio de John McGinn, mas o goleiro conseguiu defender.

O técnico Steve Clarke, então, fez mais mexidas no time escocês. Colocou em campo Callum McGregor e Ryan Fraser nos lugares de Jack Hendry e Stuart Armstrong. Tornou o time mais ofensivo, em teoria.

Os escoceses tentavam, isso ninguém pode tirar deles. Foi em uma dessas descidas rápidas, com uma boa virada de jogo com Robertson, que invertei para James Forrest. Ele, que tinha entrado no lugar de Stephen O’Donnell, recebeu pela direita, fez a finta e finalizou, em chute que acabou desviado para fora.

O domínio escocês não gerava gol e o tempo ia passando. O time chegava com cruzamentos, invertidas de bola e especialmente chegadas pelos lados do campo. As tentativas foram muitas, mas no fim, deu Tchéquia na disputa contra a Escócia.

Próximos jogos

A Escócia tentará a recuperação na segunda rodada, diante da Inglaterra, em Wembley. O jogo será no dia 18, próxima sexta-feira. No dia 22, terça-feira da próxima semana, fecha a fase de grupos contra a Croácia.

A Tchéquia volta a campo nos mesmos dias; na sexta, 18, enfrenta a Croácia, novamente no Hampden Park. No dia 22, os tchecos vão até Wembley, em Londres, para enfrentar a Inglaterra.

Ficha técnica

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo