Eurocopa

Com tranquilidade até surpreendente, Inglaterra goleia a Ucrânia e chega à semifinal da Euro 2020

Os ingleses lidaram perfeitamente bem com o status de favoritos e voltam para casa para tentar sua primeira final de Eurocopa

A Inglaterra tem superado os diferentes desafios que aparecem pela sua frente nesta Eurocopa, o que é raro de encontrar em sua história nas grandes competições. Depois de eliminar a Alemanha, seu maior fantasma, lidou perfeitamente bem com o status de favorita contra a Ucrânia, neste sábado, goleou por 4 a 0 e está na semifinal do torneio europeu pela terceira vez.

A última foi justamente quando sediou a competição, em 1996, e como as duas semifinais e a grande decisão serão em Wembley, o cenário para o restante da Eurocopa será parecido. Com um gol cedo nos dois tempos e muita paciência para cozinhar o jogo tocando bola, a Inglaterra construiu a goleada com uma tranquilidade até surpreendente e em nenhum momento pareceu ameaçada pela Ucrânia.

Harry Kane desencantou com dois gols, Sterling deu mais uma assistência com a camisa da seleção inglesa e Jadon Sancho, logo após ser anunciado um acordo para jogar no Manchester United na próxima temporada, foi titular e ficou em campo até o fim.

Para tentar chegar à final pela primeira vez, enfrentará a Dinamarca, na próxima quarta-feira, diante dos seus torcedores.

Sterling brilhante

Sterling fez uma temporada abaixo das suas capacidades pelo Manchester City e não começou bem a Eurocopa. Apesar das contestações, Gareth Southgate bancou a sua manutenção como titular incontestável. Tinha o apoio dos números: a contribuição de Sterling ao time nacional é fenomenal há quase três anos. E agora o atacante tem correspondido também nas atuações. Marcou contra a Alemanha e foi um dos melhores em campo diante da Ucrânia.

Além disso, foi o autor da brilhante jogada que abriu o caminho para a goleada da Inglaterra. Logo aos quatro minutos, saiu da esquerda para dentro e soltou a bola em um buraco de fechadura para deixar Kane na cara do gol. Bastou ao atacante do Tottenham se esticar para tocar na saída do goleiro Bushchan e abrir o placar.

Com a vantagem precoce, a Inglaterra não teve nenhuma pressa. Tocou a bola com lentidão até exagerada, às vezes acelerando com arrancadas e toques de primeira de Sancho. O restante do primeiro tempo foi mais travado. Teve uma cabeçada de Kane em cobrança de falta de Luke Shaw e uma bomba de Declan Rice de fora da área. O rebote seguiu vivo dentro da área até ser afastado.

A Ucrânia deu apenas duas investidas. Yaremchuk aproveitou um passe errado de Walker para avançar pela esquerda, ganhar de Stones e bater rasteiro para a defesa de Pickford. Depois, Shaparenko emendou a sobra de fora da área com curva. Passou perto da trave.

Bola parada resolve para a Inglaterra

Uma das grandes armas da Inglaterra na Copa do Mundo foi a bola parada e ela novamente foi importante. Assim que o segundo tempo começou, Luke Shaw cobrou falta da esquerda e Maguire completou de cabeça. Logo em seguida, Harry Kane, parecendo muito mais o excelente centroavante que é, testou outro centro preciso de Shaw, após arrancada de Mount em contra-ataque e um toque de calcanhar de Sterling pela esquerda.

Não que houvesse muito mistério àquela altura, mas o jogo efetivamente acabou aos 18 minutos, quando Mount cobrou escanteio da direita e Henderson apareceu na primeira trave para desviar. Foi a deixa para Southgate rodar o seu elenco, com as entradas de Kieran Trippier, Marcus Rashford, Jude Bellingham e Calvert-Lewin – que havia disputado apenas um minuto de Euro contra a Croácia.

Houve outros lances de destaque, como um quase golaço de Kane que emendou um chutaço da entrada da área que ia no ângulo de Bushchan, autor de excelente defesa, mas não havia volta para a Ucrânia. Em seu jogo mais seguro e equilibrado na competição, a Inglaterra cumpriu a missão e agora tem mais dois desafios pela frente antes de chegar ao objetivo mais importante.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo