Eurocopa

Com metade da população vacinada com primeira dose, Reino Unido projeta ter público na Eurocopa

O governo do Reino Unido projeta que os jogos da Eurocopa 2020, adiada para este ano, tenham público no país. A informação foi dada pelo secretário de cultura, Oliver Dowden, nesta segunda-feira. Além do estádio da capital, o Hampden Park, em Glasgow, está programado para receber jogos da primeira fase e um jogo de oitavas de final.

O Reino Unido começou a reabrir praças esportivas ao público nesta segunda-feira, como campos de futebol e de críquete, quadras de tênis e de basquete, piscinas abertas e campos de golfe. Com isso, algumas praças começaram a funcionar já na madrugada, como campos de golfe com bolinhas neon para serem vistas à noite.

“Apesar das liberações de hoje, todos devem continuar a cumprir as regras, lembrem de lavar as mãos, o rosto, manter distanciamento, e tomar a vacina quando chegar a sua vez”, afirmou o Primeiro-Ministro do país, Boris Johnson. Neste domingo, o Reino Unido registrou 19 mortes – Londres não registrou nenhuma. Segundo a BBC, mais de 30 milhões de pessoas já foram vacinadas ao menos com a primeira dose no Reino Unido, o que significa metade da população adulta, aproximadamente. É o país que, proporcionalmente, mais vacinou no mundo, com 50,4 pessoas a cada 100 habitantes, à frente dos Estados Unidos, com 42,9, ainda segundo a BBC. O Brasil vacinou 8,3 pessoas a cada 100 habitantes.

A partir do dia 17 de maio, os estádios poderão voltar a receber público no país, com limite de 10 mil pessoas. O plano é que a partir do dia 21 de junho sejam retiradas as restrições completamente, com eventos de testes para retornar, de forma segura, a ter espectadores em eventos públicos.

“Para os últimos jogos do torneio, estamos olhando para substancialmente mais do que isso [10 mil pessoas], mas está sujeito a encontrar um jeito seguro de fazer isso. Eu estou muito esperançoso e otimista que nós teremos muitas, muitas pessoas nos jogos das fases finais”, afirmou Dowden em entrevista à Sky Sports, citada pelo Guardian.

“Eu estou muito satisfeito. Depois desse longo inverno terrível da COVID, a primavera está no ar e o esporte amador está voltando. Nós dissemos quando entramos nas restrições mais duras que o esporte amador deveria ser o último a ser fechado e o primeiro a ser aberto. Estamos entregando isso e é essencial para o senso de bem-estar e saúde de todos”, disse ainda Dowden.

Apesar do tom otimista, o secretário de cultura alertou que não são aberturas definitivas. As coisas podem mudar, de acordo com o controle da contaminação do coronavírus no país. “É por isso que é importante que as pessoas cumpram as regras à risca para que possamos superar cada estágio disso. A razão pela qual foi possível fazer isso que estamos vendo hoje é porque as pessoas, em geral, seguiram as regras até agora. É importante que em cada estágio as pessoas cumpram as regras”, disse o secretário.

O secretário de esportes do Reino Unido, Nigel Huddleston, ressaltou também a importância da atividade física para crianças e adultos para que liberassem o uso desses equipamentos. “Ao longo do último ano, nós priorizamos a importância da atividade física, permitindo exercícios básicos o tempo todo. Contudo, a realidade é que as atividades físicas reduziram de nível durante o lockdown. É por isso que atividades esportivas amadoras reabrindo hoje são tão importantes”, disse.

A Eurocopa começa no dia 11 de junho, em Roma, e vai até o dia 11 de julho, com as semifinais e a final disputados em Wembley, em Londres.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo