Eurocopa

Bonucci, da Itália: “A vitória que você sofre é sempre a mais saborosa”

Depois da vitória nos pênaltis, Bonucci diz que foi o "jogo mais difícil da sua vida" e ressalta o coração dos italianos na partida

A Itália chega à final da Euro 2020, algo importante na história da seleção do país. A vitória nos pênaltis sobre a Espanha teve traços dramáticos, depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal. Os italianos viveram a situação pela primeira vez na competição, depois de dominarem a maior parte dos seus adversários e vencerem até mesmo a favorita Bélgica nos 90 minutos. Só que a Espanha mostrou um futebol que deixou os italianos desconfortáveis. Ao menos durante o jogo. Porque depois, o zagueiro Leonardo Bonucci valorizou a classificação. O jogador da Juventus, de 34 anos, ressaltou a resiliência italiana e ainda disse que vitórias assim, com sofrimento, são as mais apreciadas.

“Foi incrível. Um jogo realmente duro, méritos para a Espanha. Eles foram bons. Não há vergonha em admitir isso: ninguém mostra tanta resiliência quanto nós, italianos. Nós sofremos durante o jogo, mas estávamos prontos para o trabalho sujo, sofrer juntos e chegar à final”, afirmou o zagueiro Leonardo Bonucci.

“Este foi o jogo mais difícil que eu já joguei. Eu parabenizo a Espanha pelo que eles mostraram, mas uma vez mais esta Itália mostrou coração, determinação e a habilidade de superar os momentos difíceis e a loteria dos pênaltis nos recompensou”, disse Bonucci à RAI Sport. “A vitória que você sofre é sempre a mais saborosa”.

Um dos pontos que complicou a Itália foi a ausência de um centroavante na escalação inicial da Espanha. Luis Enrique escalou o time com Ferrán Torres, Dani Olmo e Mikel Oyarzabal. Álvaro Morata e Gerard Moreno ficaram no banco. Isso criou algumas dificuldades para a defesa da Azzurra, segundo conta o próprio Bonucci.

“Nós sabíamos que eles poderiam tentar algumas surpresas, já que Luis Enrique fez isso algumas vezes na sua carreira. Eles se mexeram muito no ataque e não nos deram pontos de referência, mas levamos para casa um resultado histórico com o coração dos italianos”, continuou Bonucci.

A decisão da vaga só veio nos pênaltis, depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal e sem gols na prorrogação. Este tipo de disputa é sempre muito tensa e a Itália começou batendo, mas perdeu a sua primeira cobrança. Leonardo Bonucci foi um dos cobradores e foi muito bem ao converter sem problemas a sua penalidade.

“Apenas aqueles que não cobram pênaltis não perdem. Eu tinha certeza que ia marcar. Para ser honesto, nós não sabíamos quem escolher para os pênaltis, porque muitos jogadores querem cobrar. Os cinco jogadores que cobraram estavam confiantes. No final, eu acho que tivemos sorte que Manuel (Locatelli) errou o primeiro pênalti, então colocamos alguma pressão na Espanha”.

“Há um centímetro a mais para avançar. Apenas um centímetro a mais… É incrível o que temos feito, não devemos nos sentir saciados. Estamos na final, daqui a cinco dias, e precisamos dessa mesma fome e espírito de sacrifício para trazer esse troféu para casa depois de muitos anos”, disse ainda Bonucci.

A Itália conquistou só uma vez a Eurocopa, em 1968. Chegou à final outras duas vezes, em 2000, quando foi derrotada pela impressionante França, então campeã mundial, e também em 2012, quando foi goleada pela Espanha na decisão. A final será novamente em Wembley, no domingo, dia 11, às 16h (horário de Brasília). A Itália espera o vencedor entre Inglaterra e Dinamarca, que se enfrentam nesta quarta-feira (confira a Programação de TV).

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo