Eurocopa

Bélgica tomou muita pressão, mas eliminou Portugal no único chute que acertou no gol

Depois de tomar um golaço de Thorgan Hazard, Portugal, atual campeão, pressionou muito no segundo tempo e sai frustrado com a eliminação

O confronto entre a Bélgica, semifinalista da Copa 2018, e Portugal, campeão da Euro 2016, foi apertado como era de se esperar. O que vimos em campo passou longe das melhores atuações dos dois times, mas os belgas acabaram aproveitando o único chute que acertou no alvo. Thorgan Hazard, ainda no primeiro tempo, marcou um golaço de fora da área. No segundo tempo, Portugal pressionou, criou chances, mas não marcou. No fim, vitória belga por 1 a 0, suficiente para levar a equipe às quartas de final, onde enfrentará a Itália.

A Bélgica só finalizou a gol seis vezes no jogo, e só acertou uma. Justamente a que entrou. Portugal chutou 23 bolas a gol, quatro delas no alvo. Para tornar a estatística mais precisa, o expected goals, ou xG, dos dois times mostra algo interessante: a Bélgica teve 0,23, enquanto Portugal teve 1,72. Ou seja: Portugal teve chances mais claras para marcar, mas não conseguiu colocar para dentro. A Bélgica fez o gol em uma chance mais improvável e acabou se aproveitando disso para defender o resultado, em uma partida que não conseguiu criar muito.

Como vieram os times

O técnico Roberto Martínez manteve o 3-4-3, com Eden Hazard e Kevin De Bruyne com liberdade para encostarem no centroavante, Romelu Lukaku. Os titulares estavam em campo, com Axel Witsel no meio-campo, ao lado de Youri Tielemans.

Em Portugal, o técnico Fernando Santos trocou o lateral direito. Saiu Nélson Semedo, entrou Diogo Dalot. No meio-campo, Palhinha entrou no lugar de Danilo, que teve ao seu lado os mesmos jogadores do jogo passado, Renato Sanches e João Moutinho. No ataque, Bernardo Silva, Diogo Jota e Cristiano Ronaldo.

Primeiro tempo

O jogo foi menos ofensivo do que poderia se imaginar. Os dois times foram bastante cautelosos e ninguém abria espaço, nem ia para o ataque com muito afinco. Mesmo assim, eventualmente uma chance era criada.

Portugal chegou pela primeira vez com perigo aos cinco minutos. Renato Sanches arrancou em velocidade pelo meio e passou para Diogo Jota, que dominou e finalizou mal em um chute cruzado para a Copa. Ele demorou um pouco a finalizar a jogada.

Os belgas chegavam ao ataque, mas encontravam dificuldades para acionar Romelu Lukaku. Até por isso, o camisa 9 buscou o jogo e conseguiu levar muito perigo em uma arrancada pelo meio, mas ele acabou não conseguindo fazer o passe e acabou desarmado.

Portugal voltou a ameaçar aos 24 minutos. Em uma cobrança de falta, Cristiano Ronaldo soltou uma bomba, e Thibaut Courtois espalmou. Palhinha aproveitou o rebote para tocar de cabeça, mas mandou fora, sem conseguir direcionar muito pela rapidez da jogada.

Golaço de Thorgan Hazard

O primeiro tempo parecia que acabaria mesmo sem gols, mas isso mudou nos minutos finais. Depois de uma jogada que a Bélgica não conseguiu achar espaço para entrar na área, Thomas Meunier tocou para Thorgan Hazard. O ala chutou de fora da área, com curva, e pegou o goleiro Rui Patrício de jeito. Um golaço dos belgas, aos 41 minutos do primeiro tempo.

Bélgica perde De Bruyne

Logo no início do segundo tempo, a Bélgica perdeu Eden De Bruyne. O jogador sentiu o tornozelo, que parece ter sido acertado desde uma falta que sofreu de Palhinha no fim do primeiro tempo. O português inclusive foi punido com um cartão amarelo. De Bruynbe foi substituído por Dries Mertes, aos três minutos do segundo tempo.

Com 10 minutos do segundo tempo, o técnico Fernando Santos fez duas mudanças no time. Levou a campo Bruno Fernandes, jogador do Manchester United, no lugar de Bernardo Silva. Também tirou João Moutinho e colocou João Félix.

Pouco depois das mudanças, Cristiano Ronaldo arrancou pela direita e criou a jogada, passou para o meio da área, onde Diogo Jota dominou e chutou, mas mandou por cima do gol. Um lance perigoso, mas que ao menos levou perigo.

Pouco depois, em um cruzamento de Renato Sanches para a área, João Félix apareceu para cabecear, mas sem muita força, foi uma defesa fácil para Courtois. Precisando mais de ataque, Fernando Santos também colocou em campo André Silva, de ótima temporada no Eintracht Frankfurt, no lugar de Diogo Jota, que não conseguiu acertar os lances.

Jogo esquenta

O jogo era mais truncado, com a Bélgica se segurando bem na defesa, Portugal buscando o ataque e com muita pressa. O time belga quase não chegava ao ataque. E os belgas tentavam perder tempo, enquanto os portugueses tinham toda pressa do mundo.

Pressão de Portugal

Aos 36 minutos, Bruno Fernandes cobrou escanteio da direita e Rúben Dias cabeceou muito bem, mas Courtois fez uma defesa impressionante. A bola foi no meio do gol, mas foi muito forte e o goleiro espalmou com segurança.

Pouco depois, Raphael Guerreiro pegou um rebote, depois de cruzamento afastado pela defesa belga, e a bola bateu na trave. Courtois, mesmo bem posicionado, não chegaria na bola. Portugal tentava o gol, enquanto a Bélgica já não criava nada e parecia contar os minutos para o fim do jogo.

O jogo virou uma loucura. Portugal foi para cima com tudo que tinha e pressionou, buscou, e a cada ataque levava algum perigo. Até o último minuto, a seleção portuguesa levou muito perigo, mas acabou não conseguindo marcar. Sai de mãos vazias de um jogo que viu Courtois ir muito bem e que não conseguiu transformar seu domínio no fim do jogo em gol.

Portugal tem motivos para lamentar. O time não esteve no seu melhor nível, é verdade, mas fez um jogo muito parelho com a Bélgica e criou até mais que os adversários deste domingo. Faltou eficiência, ou talvez até um pouco de sorte, diante de oportunidades que passaram tão perto. Cristiano Ronaldo esteve muito marcado o jogo todo, mas mesmo assim conseguiu levar algum perigo com sua presença. A eliminação é de se lamentar porque o time mostrou que poderia ir além, mas agora volta para casa e precisa pensar nas Eliminatórias da Copa, em setembro.

Próximo jogo

Classificada, a Bélgica vai se recuperar do susto e vai até Munique. Será lá na Alemanha que os belgas enfrentarão a Itália, outra classificada, pelas quartas de final. O jogo será no dia 2 de julho, na próxima sexta-feira.

Ficha técnica

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo