Europa

Eriksen será o capitão da Dinamarca em seu retorno ao Parken Stadium, onde teve ataque cardíaco

O goleiro Kasper Schmeichel cedeu a braçadeira ao meia que fará seu primeiro jogo no estádio onde seu coração parou momentaneamente de bater ano passado

O meia Christian Eriksen fará nesta terça-feira em amistoso contra a Sérvia seu primeiro jogo no Parken Stadium de Copenhague desde que sofreu um ataque cardíaco no local durante a Eurocopa disputada ano passado e para marcar a ocasião usará a braçadeira de capitão da seleção dinamarquesa.

Com um desfibrilador instalado no peito, Eriksen, 30 anos, retornou aos gramados no final de fevereiro com a camisa do Brentford após se recuperar da parada cardíaca que sofreu contra a Finlândia na primeira rodada da fase de grupos da Euro 2020 – disputada em 2021 por causa da pandemia.

Voltou a ser convocado nesta Data Fifa de março e marcou seu retorno à seleção com um gol na derrota por 4 a 2 para a Holanda no último sábado. Kasper Schmeichel, capitão da Dinamarca na ausência do lesionado Simon Kjaer, foi quem teve a ideia.

“Achei que era a coisa certa a fazer. Agora, Christian está de volta e pode liderar a equipe. Podemos terminar o capítulo que todos vivemos juntos de uma forma fantástica e começar um novo capítulo”, afirmou o goleiro do Leicester à emissora de televisão TV2 Sport.

Questionado se Eriksen aceitou o gesto de prontidão, Schmeichel acrescentou: “Claro que ele disse ‘sim, obrigado’. Você não diz não a isso. Eu acho que ser autorizado a usar a braçadeira de capitão por seu país é a maior honra que você pode experimentar como jogador de futebol”.

Eriksen disse que receber a braçadeira de capitão é um “bom prelúdio” para o que ele espera que seja um dia especial. “Estou muito ansioso por estar de volta ao gramado aqui no Parken e ser um jogador de futebol. É sobre isso para mim. Mas eu também estou ansioso para virar essa página depois da partida”, encerrou o jogador que defenderá a Dinamarca pela 110ª vez.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo