Europa

Em sua primeira experiência no futebol de seu país, Nainggolan liderará o ambicioso projeto do Royal Antuérpia

Aos 33 anos, Nainggolan jogará pela primeira vez como profissional no futebol da Bélgica

Ao longo das últimas temporadas, o Royal Antuérpia recuperou sua relevância no Campeonato Belga e voltou a figurar nas copas europeias, voltado essencialmente à contratação de medalhões. E o clube contará com um reforço de peso para suas próximas empreitadas: Radja Nainggolan foi anunciado neste final de semana. O meio-campista de 33 anos estava sem contrato após deixar a Internazionale e assinou sem custos com sua nova equipe. Tentará ajudar o fim de um jejum na liga nacional que dura desde 1956/57.

O Royal Antuérpia possui um peso histórico no Campeonato Belga. Conquistou quatro vezes a primeira divisão nacional e possui três títulos da Copa da Bélgica, além de ter sido vice-campeão da Recopa Europeia em 1992/93. No entanto, o clube atravessou uma longa crise no início desse século e permaneceu 13 temporadas na segundona até reaparecer na elite em 2017. Desde então, com investimento em seu elenco, os alvirrubros conquistaram a Copa da Bélgica em 2019/20 e começaram a bater cartão nas copas europeias. A chegada de Nainggolan é um sinal das ambições.

O mercado do Royal Antuérpia está bem movimentado nesta temporada. O clube perdeu alguns de seus medalhões, com as saídas de Dieumerci Mbokani e Lior Refaelov. Em compensação, a diretoria trouxe uma barca de 12 reforços. Alguns deles são jovens com boas experiências em alto nível, a exemplo de Viktor Fischer e Johannes Eggestein. Ainda assim, nenhum deles com a badalação de Nainggolan, um atleta que esteve entre os grandes nomes da Serie A ao longo da última década e somente aos 33 anos terá sua primeira experiência como profissional em seu país.

Nainggolan soma 367 partidas pela Serie A, com 48 gols e 35 assistências. O meio-campista, entretanto, não vinha sendo aproveitado pela Internazionale e passou o último semestre emprestado ao Cagliari. Até existia a esperança de que o “Ninja” assinasse em definitivo com os rossoblù, onde se projetou no início da carreira. No entanto, mesmo preferindo viver na Itália, o veterano considerou que a proposta do Royal Antuérpia era boa demais para recusar.

“Não queria deixar a Itália de início, mas estava aberto a todas as ofertas. E o Royal Antuérpia estava, digamos, falando alto. Prometi que diria sim se eles me oferecessem certa quantia e vieram com ela logo depois. Estou surpreso com a repercussão do negócio, porque nunca joguei futebol na Bélgica”, admitiria Nainggolan. “Eu não conhecia o presidente pessoalmente, mas ele é ambicioso. ‘Queremos tentar ganhar o campeonato com você’, ele me disse. Imediatamente, senti uma bela inspiração para vir. Tive uma boa impressão do treinador, ele deixou bem claras suas expectativas. Foi além do futebol em si, também em termos de mentalidade. Tenho que dar exemplo aos jovens, porque ainda sou admirado em campo”.

O Royal Antuérpia é treinado por Brian Priske, dinamarquês que até a temporada passava comandava o Midtjylland em seu país e o levou à fase de grupos da última Champions League. Já em campo, outras figuras conhecidas são o lateral Ritchie de Laet e o centroavante Didier Lamkel Zé. Nenhum deles, porém, com a projeção da Nainggolan. O veterano precisará liderar uma equipe em plena reformulação, com pretensões altas para cumprir. Os alvirrubros conquistaram apenas quatro pontos nas primeiras quatro rodadas do Campeonato Belga, enquanto pegarão o Omonia Nicósia na última fase preliminar da Liga Europa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo