Europa

Doze anos depois, Yaya Touré volta ao Olympiacos e já sente toda a paixão da torcida grega

O Olympiacos representou uma etapa importante na carreira de Yaya Touré. Formado nas prolíficas categorias de base do ASEC Mimosas, o meio-campista aproveitou a conexão do clube com o Beveren para desembarcar no Campeonato Belga. Depois, passou pelo Metalurh Donetsk, até ser descoberto pelo Olympiacos em 2005. E mesmo que sua estadia em Pireu tenha sido curta, durando apenas uma temporada, foi suficiente para ser reconhecido como uma ótima promessa. Conquistou a dobradinha, com o Campeonato Grego e a Copa da Grécia, além de ter disputado a Liga dos Campeões pela primeira vez – já encarando Real Madrid e Lyon na fase de grupos. Vitrine que o levou ao Monaco, mas cujos laços se retomam 12 anos depois. Neste domingo, o meio-campista foi apresentado como novo reforço dos alvirrubros.

Aos 35 anos, muito aconteceu na vida de Touré desde então. Deixou de ser apenas o “irmão mais novo de Kolo Touré” para construir uma carreira ainda mais notável que o defensor. Conquistou diversos títulos com o Barcelona, mesmo subutilizado por Pep Guardiola. Até se transformar em lenda no Manchester City, um dos principais responsáveis pelos sucessos do clube nesta década. Faturou a Copa Africana de Nações e quatro prêmios de jogador africano do ano. Contudo, a idade minou sua potência física e seu espaço nos Citizens. Mesmo com poucas chances, se despediu com honras no Estádio Etihad durante a temporada passada. E, sem contrato, ficou livre para buscar um novo clube.

As expectativas eram de que Yaya Touré assinasse com uma equipe de meio de tabela da Premier League. Até existiram rumores na imprensa inglesa, relacionados principalmente ao West Ham e também ao Arsenal. Porém, não foi o que aconteceu. Mesmo com a janela fechada, por ser agente livre, o meio-campista poderia assinar com alguma equipe do país. Mas acabou atraído pela oferta e pela oportunidade de retornar ao Campeonato Grego. É uma das apostas do Olympiacos para retomar a hegemonia perdida na liga local, com o título do AEK Atenas na temporada passada, e também fazer uma boa campanha a partir da fase de grupos da Liga Europa.

O cenário que Touré encontrará em Pireu é bem diferente. Por mais que o clube se mantenha com o dinheiro de um magnata, raro caso de segurança financeira no futebol grego, o campeonato local foi bastante degradado entre escândalos e falta de dinheiro. Mesmo o Olympiacos não desfruta da relevância de outros tempos e enxuga gastos. Quando o próprio marfinense jogava por lá, tinha a honra de compartilhar o campo com Rivaldo. Agora, o próprio volante que será a referência e dará a honra aos seus companheiros. Vem depois de um mercado bastante intenso, em que ocorreu uma limpa no plantel. Vasilis Torosidis, Guilherme e Lazaros Christodoulopoulos são outras novidades.

Algo que permanece inalterado, ao menos, é a paixão da torcida grega. E a recepção de Yaya Touré já demonstrou isso, com centenas de alvirrubros saindo às ruas para festejar o veterano. Por sua qualidade técnica, é bastante provável que o meio-campista sobre no Campeonato Grego, como já tinha feito em algumas das últimas aparições pelo Manchester City. Tinha bola, inclusive, para se encaixar na própria Premier League. Mas os últimos capítulos de sua carreira podem se misturar às cores e à insanidade que transbordam no leste da Europa. Será como um rei.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo