Conference League

Com ex-River herói, Fiorentina avança à 2ª final da Conference em empate com Brugge

Brugge até foi atrás da vitória e abriu o placar, mas permitiu reação da Fiorentina, agora finalista da Conference

Vice-campeã da Conference League para o West Ham na temporada passada, a Fiorentina ganhará mais uma oportunidade de lutar por um título continental em 2023/24. Nesta quarta-feira (8), a Viola foi até o Estádio Jan Breydel, na Bélgica, e buscou o 1 a 1 com o Club Brugge aos 40 do segundo tempo, com gol do atacante argentino Lucas Beltrán, ex-River Plate. Como havia vencido a ida por 3 a 2, confirmaram sua quinta final europeia e vão atrás do segundo título. O primeiro e único é a Recopa Europeia de 1960/61.

Depois do primeiro tempo, que já tinha sido melhor, especialmente após o Brugge abrir o placar com Maxim De Cuyper, de cabeça, os italianos pressionaram muito na etapa final. Antes do empate, foram incríveis quatro bolas na trave de Simon Mignolet, ex-Liverpool. O gol só veio porque o zagueiro Brandon Mechele decidiu tentar cortar a bola com o joelho no mesmo momento que M’Bala Nzola ia cabecear, pênalti. Na cobrança, Beltrán mandou rasteiro na bochecha da rede e o goleiro belga quase pegou.

Para avançar, a Fiorentina teve que contar Pietro Terracciano em duas oportunidades para, enfim, confirmar a ida para decisão. O outro finalista será definido nesta quinta (8), quando o Aston Villa visita o Olympiacos – este, em vantagem de dois gols.

O Brugge mantém o tabu de não disputar uma final europeia há 46 anos. A última vez foi em 1978, quando foram vices da Champions League para o Liverpool. O jogo aconteceu hoje porque amanhã, dia tradicional das rodadas da Conference, será celebrado o feriado católico Festa da Ascensão na Bélgica.

Gol do Brugge muda rumos do 1º tempo

Maxim De Cuyper abre o placar contra Fiorentina (Foto: Icon Sport)

Foi um início de primeiro tempo bem equilibrado e sem emoções na Bélgica. Ninguém ousava muito e os espaços eram escaços. Até que o gol da abertura do placar pelo mandante mudou tudo. Já aos 22, apenas dois após ver a vantagem desmoronar, a Fiorentina partiu para o ataque e fico no detalhe de empatar. Em um passe mágico de Arthur, Nicolás González ficou na cara do gol e deu um fraco chute rasteiro. O goleiro defendeu, e Lucas Béltran arriscou de fora na sobra para novo desvio de Mignolet. Na sequência, foi a vez de Andrea Belotti finalizar todo torto na área. Ainda deu tempo do marfinense Christian Kouamé mandar uma bomba no travessão após lançamento para o ataque e ver a bola quicar na linha.

O Brugge sentiu um pouco esse bombardeio italiano e quase não reagiu aos ataques rivais. Na única chegada mais perigosa além do gol, o brasileiro Igor Thiago se aproveitou de vacilo de Nikola Milenković para ficar na cara de Pietro Terracciano. Sem espaço para finalizar, o brasileiro esperou o goleiro sair e tocou para Michal Skóraś, que pegaria o gol aberto se não fosse um corte na medida de Dôdô.

Fiorentina demora, mas reage e faz o necessário para avançar

Não houve muita urgência dos dois lados no retorno do intervalo, sem trocas, e sem a intensidade que marcou a segunda metade da etapa inicial. A Viola, levemente superior, chegou duas vezes em 25 minutos. Primeiro Kouamé finalizou com desvio e a bola foi pela linha de fundo. Depois, o capitão Cristiano Biraghi cobrou uma falta por cima do gol.

A partir de trocas no meio e ataque de Vincenzo Italiano, o time visitante melhorou e passou a pressionar muito os belgas. Biraghi dessa vez cobrou falta quase perfeita, explodindo no travessão aos 27. Praticamente na sequência, Nico González levantou na área e Kouamé balançou novamente os postes defendidos por Mignolet, o que pavimentou o caminho para o pênalti salvador que deu a classificação aos italianos — além, claro, do brilho do goleiro Terracciano.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo