Champions LeagueInglaterra

Klopp: “Quando eu não estiver feliz de chegar à semifinal da Champions, será a hora de parar”

O técnico pregou respeito ao Villarreal, adversário da semifinal, e elogiou a postura do Benfica em Anfield

Após chegar às semifinais da Champions League pela terceira vez como técnico do Liverpool, Jürgen Klopp tirou um momento para apreciar a ocasião, explicou os problemas que o seu time, com uma escalação praticamente reserva, teve contra o Benfica e disse que espera dificuldades do Villarreal, último obstáculo para os Reds chegarem à grande decisão europeia pela décima vez.

“Eu sei que vamos falar do jogo, das coisas que aconteceram, dos gols que concedemos e tudo isso, mas no dia em que eu não estiver nas nuvens por ter me classificado para a semifinal da Champions League então alguma coisa está muito errada e talvez seja a hora certa de parar”, começou Klopp, antes de entrar em detalhes sobre o empate por 3 a 3 com o Benfica.

“Eles foram ótimos, muito fortes, muito bons, mas foi sobre nós também. Foi difícil. Eu fiz sete mudanças, a última linha (Gomez, Matip, Konaté e Tsimikas) nunca tinha jogado junta assim. Eu decidi isso um dia antes do jogo. Nós tivemos 15-20 minutos para tentar acertar. A maioria das vezes eles foram muito bem e eu gostei, gostei muito, gostei do futebol. O único problema é que quando perdíamos a posse de bola nossa proteção obviamente não foi perfeita. Sentimos faltas dos rapazes da última linha”, disse.

O Benfica marcou seus gols com bolas enfiadas nas costas da defesa. “Quando você defende nas quartas de final da Champions League, é sobre detalhes. Eu não vi as situações de impedimento, mas colocar os adversários em impedimento é parte de defender. Não funcionou muito bem, mas é minha culpa porque eu fiz sete mudanças”, disse Klopp, antes de admitir que seu time achou que o trabalho estava feito quando abriu 3 a 1

“O próximo problema que tivemos é que abrimos 3 a 1, 6 a 2 no agregado. É um momento incrivelmente ocupado (de jogos). Alguns dos rapazes não jogaram todos os 90 minutos. Somos seres humanos, somos assim. Pensamos: ok, trabalho feito. E o Benfica ainda estava pegando fogo e eu respeito muito isso. Eles marcaram gols muito bons, mas não deveria ter sido tão fácil contra nós. Não deveria ter sido tão fácil quanto foi”, disse.

“O Benfica mereceu os três gols. Claro que poderíamos ter marcado mais, isso foi claro. Mas estou muito feliz. Eu sei os desafios que enfrentamos constantemente e na última noite foi depois do 3 a 1. Todos, incluindo eu, pensamos que havia acabado. O Benfica pensou em tentar e eu não poderia respeitar mais isso”, acrescentou.

Sobre o Villarreal, que eliminou a Juventus e o Bayern de Munique para chegar às semifinais, Klopp adotou o tom de respeito. “Difícil, difícil, difícil. Eles mereceram passar. Será difícil, mas se as semifinais da Champions League não fossem difíceis, algo estaria errado”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo